Empresas Chineses da Three Gorges ganham privatização da EDP (act2)

Chineses da Three Gorges ganham privatização da EDP (act2)

O Governo decidiu vender aos chineses da Three Gorges a posição de 21,35% do Estado português na EDP, apurou o Negócios. A decisão já foi confirmada.
Celso Filipe 22 de dezembro de 2011 às 14:16
O Governo vai anunciar esta tarde que os chineses da Three Gorges foram os escolhidos para comprar a posição de 21,35% do Estado português na EDP, apurou o Negócios em primeira-mão.

A decisão já foi confirmada pela parpública, que em comunicado à CMVM justifica a escolha "atendendo ao maior mérito da respetiva proposta

vinculativa apresentada em 9 de dezembro, a qual observa, em termos que satisfazem adequadamente o Governo, os critérios de seleção".

A Parpública adianta que "alienação será efetuada pelo preço global de 2.693.186.548 euros, incorporando um prémio de 53,6% em relação ao preço de mercado no dia 21 de dezembro".

O processo depende agora apenas de uma negociação final de alguns pormenores. Se a negociação final correr de feição para ambas as partes, a decisão definitiva será confirmada pelo Conselho de Ministros. Se a negociação falhar, então o concorrente preferido ("prefered bidder") sai de cena e o Governo chama o segunda da sua lista.

Esta negociação final deverá respeitar apenas a detalhes da proposta, pelo que a decisão final deverá apenas formalizar esta primeira escolha.

Os chineses manifestaram a intenção de criar uma fábrica de turbinas eólicas em Portugal, gerando cerca de 500 milhões de euros anuais em exportações e servir de ponte para a EDP se financiar em Hong Kong.

A empresa garante dois mil milhões de euros de financiamento à EDP, e outros 2 mil milhões por garantir e estão interessados em comprar posições em activos eólicos da EDP.

O Governo recebeu quatro propostas para a venda de 21,35% da EDP: a dos brasileiros da Eletrobras, a dos também brasileiros da Cemig, a dos alemães da E.ON e a dos chineses da Three Gorges. A proposta mais elevada, em preço, havia sido a dos chineses, de 3,45 euros por acção, o que representa um total de 2,7 mil milhões de euros pela participação e incorpora um prémio de cerca de 50% face ao fecho de ontem. Os brasileiros da Eletrobras haviam proposto 3,28 euros por acção e os alemães da E.ON haviam oferecido 3,25 euros por acção. Já a proposta da Cemig era a menor de todas.

As propostas foram, no entanto, muito além do preço oferecido ao Estado, envolvendo outras contrapartidas para a empresa e para o seu projecto industrial.

Esta privatização da EDP deixa no Estado ainda uma fatia de 4% da empresa eléctrica, que não pôde já ser vendida por estar "presa" a obrigações permutáveis. No entanto, o Estado deverá vender esses últimos 4% durante o próximo ano, o que deixará a EDP em mãos totalmente privadas.

Além de ser a mais valiosa privatização, a venda da EDP é também o maior negócio do ano em Portugal.

(Notícia actualizada com comunicado da Parpública)





A sua opinião50
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
pepe7 22.12.2011

Eis a questão??? Pelos comentários uns declaração Vitória e sucesso, outros o contrario...Quem tem razão!Eu estou na duvida e confuso...!!!Claro que das três proposta a chinesa foi a melhor, certo!!!Diz o ditado "quem dá mais é que é amigo", certo!Quem fez um bom negócios: O Estado ou Chineses ou ambos???? Sabe-se que em tempo crise o dinheiro faz muita falta, certo!Mas o que vai fazer o estado ao dinheiro??? Pagar dividas e depois??? Então o EDP não era o melhor activo e com lucros!!!??? E que lucros e os Portugueses a pagar a factura sempre, logo o Estado nunca foi amigo, nem a EDP do Povo Português, serão os Chineses?! Agora como será com o maior accionista os Chineses???? Espero que não seja o povo a pagar mais facturas...e até pode ter coisas positivas, ou não, eis a questão!O Tempo o dirá...Sendo a EDP o nosso melhor activo, em especial no Brasil, EUA e em especial as Renováveis que é o futuro e que futuro que nesse sentido a EDP trabalhou bem com o nosso dinheirinho e será que são os Chineses que vão colher os frutos??? É que se assim for, quem fez GRANDE NEGOCIO FORAM OS CHINESES...pagaram a 3,45 euros por acção, certo!!!Quanto vai valer daqui a 4/5 anos ou até antes...Quem é afinal o grande ganhador e vencedor??? Vamos aguardar pelo futuro, desejava que neste negócio fica-se a ganhar Portugal, os Portugueses e os Chineses...Vamos aguardar!Ficam aqui as minhas questões e duvidas e quem de direito me esclareça!Boa noite e Bom Natal para o Povo bom e força para os Portugueses em dificuldades e em todo o Mundo!Gostava de um Mundo justo, imparcial e saudável em todos os prismas...Mas..:-(

ManuelaFerrari 22.12.2011

É uma venda excelente, sobretudo pela aposta que vai haver na EDP Renováveis. Claramente uma das grandes apostas da EDP e um dos mercados de futuro!

crralberto 22.12.2011

Sim é verdade. Portugal nem na Língua Portuguesa investiu em Macau!
Fiquei satisfeito. Só espero que os Chineses ponham em “sentido” o António Mexia e controlem o que ele leva diariamente, semanalmente, mensalmente e anualmente para casa!

rmmo1959 22.12.2011

és a mais linda do mundo

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub