Tecnologias Ciberataque afectou mais de 29 mil instituições na China

Ciberataque afectou mais de 29 mil instituições na China

Várias instituições chinesas confirmaram ter sido afectadas pelo ciberataque desencadeado na sexta-feira. França também já alertou que há mais visados além da Renault, que suspendeu a produção em várias fábricas.
Ciberataque afectou mais de 29 mil instituições na China
Kacper Pempel/Reuters
Negócios 15 de maio de 2017 às 10:36

Tal como o director da polícia europeia Europol tinha estimado, o número de instituições afectadas pelo ciberataque desencadeado na sexta-feira, 12 de Maio, continua a aumentar. À medida que as pessoas estão voltar ao trabalho e a ligar os computadores, a dispersão de "ransomware" ganha novas dimensões.

Esta segunda-feira, 15 de Maio, foi a vez de a China confirmar que mais de 29 mil instituições privadas e públicas, foram afectadas pelo ciberataque. Segundo a agência de notícias Xinhua, citada pela AP, entre as instituições afectadas encontram-se alguns hospitais, estações ferroviárias, postos de correio, postos de combustível e outros serviços governamentais.

No Japão também há relatos de alguns ataques, mas em menor escala, até ao momento, e sem grandes repercussões.

Já em França, a autoridade responsável pela segurança de sistemas de informação (ANSSI), revelou que a Renault não foi a única vítima no país, revelou Guillaume Poupard, da ANSSI, sem detalhar o nome das instituições visadas.

Esta segunda-feira a Renault também decidiu suspender a produção em fábricas, em frança e noutros mercados, por prevenção, para que "o vírus não se propague", explicou um porta-voz da empresa, citado pelo Expansion.

Guillaume Poupard, da ANSSI, alertou ainda que "devemos esperar ataques semelhantes regularmente nos próximos dias e semanas".

Em causa está um software malicioso, que terá chegado a pelo menos 150 países e feito mais de 200 mil vítimas, que bloqueia o uso de computadores fazendo depender a sua reactivação do pagamento de um resgate e que foi disseminado por dezenas de milhares de máquinas em todo o mundo.

 




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 15.05.2017

Um dia as máquinas virar-se-ão contra os Homens que as criaram...

pub