Bolsa Cimpor dispara 19% com volume 14 vezes acima da média

Cimpor dispara 19% com volume 14 vezes acima da média

As acções da Cimpor chegaram a subir 22% esta segunda-feira, a primeira sessão após noticiada a intenção de retirada da cimenteira de bolsa. Os títulos valem 0,37 euros, 93% abaixo do preço da OPA de 2012.
Cimpor dispara 19% com volume 14 vezes acima da média
Bruno Simão/Negócios
Diogo Cavaleiro 29 de maio de 2017 às 17:04

A perspectiva de saída de bolsa está a animar a Cimpor. Os títulos da cimenteira com sede em Portugal dispararam após o pedido de perda da qualidade de sociedade aberta, acompanhados de um volume 14 vezes acima daquilo que é habitual em qualquer sessão bolsista dos últimos seis meses.

 

As acções da Cimpor terminaram o dia a valer 0,37 euros. Foi um ganho de 18,97%. Durante a sessão, os títulos da companhia presidida por Ricardo Lima (na foto) chegaram a avançar mais de 22% em relação ao preço de sexta-feira, quando tocaram nos 0,38 euros. A valorização menos expressiva verificada esta segunda-feira foi de 6%.

A valorização da Cimpor opôs-se ao comportamento do índice PSI-20, de que não faz parte, que permaneceu inalterado esta segunda-feira. 

 

A cotação, a mais elevada desde Março deste ano, é ainda assim bastante inferior à contrapartida de 5,50 euros que foi paga na oferta pública de aquisição lançada pela Camargo Corrêa em 2012.

 

A subida das acções foi motivada por uma troca de títulos superior ao normal. A média por sessão nos últimos seis meses é de cerca de 54 mil acções negociadas. Esta segunda-feira, trocaram de mãos 767 mil, 2% do total de acções que não pertencem ao grupo brasileiro Camargo Corrêa. Ao todo, há perto de 33,2 milhões de acções dispersas por outros accionistas.

 

Esta segunda-feira marcou a primeira sessão após a convocatória, feita após o fecho de mercado, de uma assembleia-geral para 21 de Junho, em que o tema é a deliberação sobre a perda da qualidade de sociedade aberta: ou seja, a saída de bolsa.

 

Nesse processo, a InterCement assume a disposição de adquirir as acções dos accionistas que votem contra a perda da qualidade de sociedade aberta, num valor idêntico ao preço médio ponderado dos últimos seis meses, em torno de 0,33 euros. 


A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
O TRICICLO PHAROLITO Há 3 semanas



o triciclo pharolito vai ser ULTRAPASSADO e É JÁ ESTA SEMANA pelo TGV MILENIUM BCP

ANDAM A REINAR COM O BCP Há 3 semanas




AGORA ANDAM A BRINCAR com o MILENIUM BCP a estes preços RIDICULOS mas a partir do dia 16 de junho QUANDO A FINTCH SUBIR OS RATINGS DO BCP E O RATING DE PORTUGAL ACABARAM -- SE as BRINCADEIRAS e os PREÇOS RIDICULOS

pub
pub
pub
pub