Telecomunicações Claudia Goya vai ser a nova CEO da Meo

Claudia Goya vai ser a nova CEO da Meo

A antiga líder da Microsoft vai substituir Paulo Neves na presidência executiva da PT Portugal. Paulo Neves vai acumular o cargo de "chairman" na Meo e na Media Capital.
Claudia Goya vai ser a nova CEO da Meo
Sara Ribeiro 18 de julho de 2017 às 16:40

Claudia Goya vai ser a nova presidente executiva da PT Portugal, apurou o Negócios, uma informação que foi posteriormente confirmada pela empresa. A gestora vai substituir Paulo Neves, que depois do negócio da compra da Media Capital estar concluído vai passar a ser "chairman" da operadora e do grupo de media.

De acordo com um comunicado emitido entretanto pela Altice, Claudia Goya vai assumir de imediato a função de presidente executiva da PT Portugal.

A nomeação da antiga líder da Microsoft Portugal, e que desde 2012 ocupa o cargo de COO da tecnológica no Brasil, decorre no seguimento da estratégia que a Altice está a delinear para quando assumir os comandos da dona da TVI.

Depois do processo da compra da Media Capital estar concluído, Paulo Neves será nomeado para presidente do conselho de administração da Media Capital, acumulando o novo cargo com a presidência da administração da Meo. Mas deixará o cargo de CEO na operadora, como noticiou o Negócios. Além disso, "no seguimento do acordo de aquisição da Media Capital, irá liderar o processo regulatório inerente assumindo, igualmente, a coordenação dos ativos portugueses do Grupo", segundo a Altice.

Já Rosa Cullell deverá manter-se como CEO da Media Capital.

Com estas alterações, as empresas vão ter executivos diferentes, uma estratégia que o grupo fundado por Patrick Drahi tem adoptado em outros mercados, como por exemplo França e Israel, onde detém activos de telecomunicações e de media. Aliás, essa é uma forma de cumprir os requisitos para a aprovação do negócio pelos reguladores, garantindo a separação da gestão.

Para Michel Combes, CEO da Altice, "Claudia Goya é a líder certo para incorporar o novo desafio para a Portugal Telecom. É um grande prazer dar as boas-vindas a Claudia na família Altice. Ela intensificará os nossos compromissos com a companhia e com Portugal através da inovação, investimentos em infra-estruturas e digitalização, para oferecer a melhor experiência para os portugueses", referiu o responsável no mesmo comunicado.

Já Claudia Goya, que desde 2012 ocupava o argo de COO da Microsoft no Brasil, refere que "é uma grande honra abraçar o desafio de liderar uma empresa que tem uma presença tão forte na vida dos portugueses, bem como nas empresas do nosso país". "Estou profundamente comprometida com um grande senso de responsabilidade para elevar a Portugal Telecom a uma referência de classe mundial no sector ", acrescentou.


Antes de assumir a liderança da Microsoft Portugal, em 2008, Claudia Goya passou ainda pela Galp e pela Oni Telecom.

(Notícia actualizada às 17h00 com comunicado da Altice)




A sua opinião18
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 4 dias

Os salários ou o custo do trabalho em Portugal são mais reduzidos do que noutras economias mais ricas e desenvolvidas do que a portuguesa, mas o que se passa é que aí as empresas gozam de economias de escala que as empresas portuguesas só atingiriam se se internacionalizassem. E o que é facto é que muito raramente isso acontece porque sindicatos e esquerda não deixam que se reúnam as condições para que tal aconteça. Por outro lado, e não menos importante, há que salientar que o sector empresarial dessas economias mais ricas e desenvolvidas tem uma muito maior alocação de capital com grande incorporação de tecnologia de ponta, económica e eficiente, que poupa enormemente em factor trabalho. Uma coisa é ter 200 assalariados a ganhar 1000 outra é ter 50 a ganhar 2000 para produzir o dobro do que se consegue produzir empregando os primeiros.

comentários mais recentes
Jaime Jorge Pereira Há 4 dias

Parabéns Cláudia Goya por estar há frente da MEO, Deus a proteja, seja de dia como de noite, você é uma mulher linda e esbelta.

Surprise Há 4 dias

As voltas que a vida dá...

Anónimo Há 4 dias

TUDO FOI FEITO C O PSD/CDS. VENDERAM O Q N ERA DELES PARA ANGARIAR DINHEIRO E AGORA SE PERGUNTA? ONDE ESTÁ O DINHEIRO DAS VENDAS? FOI TUDO TÃO BEM FEITO Q ATÉ A ALMOFADA DESAPARECEU.

Anónimo Há 4 dias

pelo menos é + bonita que o outro!

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub