Media CMVM pede esclarecimentos à Media Capital e à Altice sobre compra da TVI

CMVM pede esclarecimentos à Media Capital e à Altice sobre compra da TVI

O supervisor dos mercados já pediu esclarecimentos à Media Capital e à Altice sobre a eventual compra da dona da TVI pelo grupo francês.
CMVM pede esclarecimentos à Media Capital e à Altice sobre compra da TVI
Ivan Guilbert/Bloomberg
Sara Ribeiro 09 de junho de 2017 às 15:27

A Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) já pediu esclarecimentos sobre a eventual compra da Media Capital pela Altice.

 

Fonte do regulador disse ao Negócios que na quinta-feira "foram pedidos esclarecimentos às entidades emitentes" - à Media Capital e à Altice.

 

O pedido da CMVM foi enviado um dia depois da Bloomberg ter noticiado que a Prisa, que controla 95% da Media Capital, estaria em negociações com a Altice para vender a operação em Portugal. Uma notícia que levou as acções da Media Capital a dispararem 13,6% para 2,84 euros.

 

Mas as notícias sobre a eventual venda da dona da TVI não ficaram por aqui. Esta sexta-feira o espanhol El Confidencial noticiou que a Prisa contratou o banco de investimento Morgan Stanley para vender a Media Capital e que a Sonae também estaria na lista de interessados.

Até ao momento, nenhuma das empresas envolvidas confirmou as negociações.

Este interesse na Media Capital, que já tem sido noticiado no passado, surge depois de a Prisa ter renovado os esforços para vender a empresa que controla a TVI, já que não conseguiu vender a editora de livros Santillana.

No passado, a Altice também já tinha sido apontada como potencial interessada em comprar a dona da TVI.

Aliás, a compra de activos de media nos mercados onde está presente faz parte da estratégia do grupo fundado por Patrick Drahi. Como o presidente da Altice sublinhou, quando esteve em Portugal na inauguração do Altice Labs no ano passado, em todos os países" onde são líderes ou ocupam o segundo lugar do mercado de telecomunicações", o grupo tem activos de media. Por isso, "sendo a PT Portugal líder em Portugal", era uma estratégia para ser seguida também em relação aos media portugueses, acrescentou Patrick Drahi.


A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
GLINTT Há 2 semanas

A nossa tecnológica GLINTT vai ser a próxima a duplicar, as campeãs de prejuízos já subiram 100% e a GLINTT que dá lucro e já foi alvo de OPA subiu 30%. Pode ser alvo de outra OPA da Farminveste para a tirar da Bolsa. Mas deviam agora pagar 1€ cada acção. Já valeu 5€ em 2004.

BCP nem que feche a 0.25 não é nada Há 2 semanas

O MILENUM BCP EM 10 dias MARRARAM - NO PARA BAIXO MAIS DE 12 % por isso se hoje subir 10 % não é favor nenhum o MONTEPIO não subiu 90 % a pharol não subiu 150% a AMORIM não subiu 130 %

Anónimo Há 2 semanas

Agora se vê o grande golpe na PT. Politicos, comunicação social e financeiros, tudo ligado.

pub
pub
pub
pub