Banca & Finanças CMVM reúne-se com lesados do Banif esta terça-feira

CMVM reúne-se com lesados do Banif esta terça-feira

A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) convocou a Associação de Lesados do Banif (ALBOA) para uma reunião a realizar-se esta terça-feira, segundo a ALBOA.
CMVM reúne-se com lesados do Banif esta terça-feira
Ricardo Pereira/CM
Lusa 13 de novembro de 2017 às 20:06

Em declarações à agência Lusa, o presidente da ALBOA, Jacinto Silva, indicou que a associação ainda não tem conhecimento do motivo que levou à convocatória, nem conhece os assuntos que vão ser debatidos. 

 

No passado dia 11 de Novembro, a CMVM disse que estava a realizar inspecções presenciais à forma como foram vendidos os produtos financeiros pelo Banif aos lesados da instituição, avançando que não se limita a verificar se os documentos obrigatórios foram assinados por estes.

 

A análise que a CMVM está a fazer "não se cinge apenas a verificar se a documentação foi assinada ou não, abrange também o desenvolvimento de ações de supervisão presencial com vista ao apuramento do cumprimento pelo responsável pela comercialização dos deveres legais a que está sujeito", disse, na altura, fonte oficial do regulador dos mercados financeiros à Lusa.

 

A investigação da CMVM relaciona-se com as mais de mil reclamações que obrigacionistas do Banif lhe fizeram chegar a dar conta do modo como lhes foram vendidos esses títulos.

 

O objectivo desses clientes é que se prove que houve vendas fraudulentas ('misseling') no Banif (mesmo quando era já maioritariamente detido pelo Estado) e que lhes seja dada uma solução que os compense pelas perdas monetárias sofridas.

 

Contudo, este processo tem-se arrastado, até pelas dificuldades da CMVM em aceder a toda a informação necessária, pelo que a associação que representa os lesados do Banif (ALBOA) tem estado a trabalhar para acelerar este processo, que deverá passar pela criação de uma comissão arbitral mediada pela Ordem dos Advogados.

 

Na passada sexta-feira, o presidente da ALBOA, Jacinto Silva, mostrou-se esperançado com essa comissão arbitral, que vai "substituir a declaração da CMVM" e que será "uma via para ultrapassar" o impasse.

 

"Das reuniões que tem havido com a CMVM, temos percebido que a CMVM está numa linha que não é a nossa. A linha deles é analisar reclamação a reclamação e saber se toda a documentação foi assinada e se as pessoas ao subscreverem o produto o subscreveram em consciência. A CMVM, sendo um organismo supervisor, o que interessa é se há papéis ou não há papéis, a forma como eles foram assinados não interessa", afirmou Jacinto Silva.

 

Após estas declarações, fonte oficial do regulador esclareceu no sábado que, neste processo, a CMVM não se limita a analisar a documentação do ponto de vista formal, mas que está também a levar a cabo ações inspectivas para saber como foi feita a comercialização.

 

A reunião com a CMVM está agendada para as 10:45. 




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 4 dias

A CMVM deveria dizer sem rodeios o que achou da conduta do Dr. Jorge Tomé enquanto CEO do Banif. O homem foi denunciado pelo Antonio Varela do BdP, pelo Dr. Vasco Ferreira do Banif e pelas trocas de favores que fez ao GES e que resultou num prejuízo de quase 130mn ao Banif. BANDIDO.

o GRANDE OLHARAC : o guru do BCP Há 4 dias



ATÉ ao fim deste ano 2017 a PHAROL vai - se aproximar dos 0.10 ao passo que o MILENIUM BCP vai - se aproximar dos 0.50

pub