Media Co-fundador da Netflix tem um plano: Ir ao cinema todos os dias e pagar 10 dólares por mês

Co-fundador da Netflix tem um plano: Ir ao cinema todos os dias e pagar 10 dólares por mês

E se pudesse pagar 10 dólares por mês e ir ao cinema todos os dias? Esta é a proposta da MoviePass para os EUA.
Co-fundador da Netflix tem um plano: Ir ao cinema todos os dias e pagar 10 dólares por mês
DR
Negócios com Bloomberg 15 de agosto de 2017 às 16:06

Numa altura em que os cinemas estão a ter muitas dificuldades em sobreviver, Mitch Lowe tem um plano para inverter esta tendência. O co-fundador da Netflix e que actualmente está a gerir a start-up MoviePass tem uma proposta para levar mais pessoas ao cinema: pagam um bilhete mensal, pelo preço de um filme actualmente, e podem ir todos os dias a uma sessão durante esse mês.

 

Lowe quer cobrar 9,95 dólares pela subscrição do bilhete de cinema. Este bilhete dá acesso às salas de cinema uma vez por dia, durante um mês. Um plano que será posto em prática nos EUA.

 

Apesar das pessoas só pagarem este preço pelo mês inteiro, os cinemas receberão o valor correspondente de cada bilhete. E quem paga é a MoviePass.

 

A Bloomberg realça que a start-up poderá perder muito dinheiro com este plano, que tem como objectivo voltar a encher as salas de cinema.

 

Para financiar este plano, a MoviePass vendeu a maioria do capital à Helios and Matheson Analytics e tenciona avançar com uma oferta pública inicial em Março.

 

Ted Farnsworth, presidente executivo da Helios and Matheson, explicou que o intuito é alargar a base de clientes e recolher dados dos hábitos das pessoas que vão ao cinema. Esses dados poderão posteriormente ser usados para publicidade direccionada ou outras funcionalidades de marketing. "Não é diferente do Facebook ou do Google", defende o responsável.

 

Esta proposta chega numa altura em que os números dos cinemas estão em queda. Os quatro maiores operadores de cinema, liderados pela AMC Entertainment, perdera, 1,3 mil milhões de dólares em valor de mercado no início do mês, depois dos números das bilheteiras terem sido desapontantes.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
Saber mais e Alertas
pub