Energia Combustíveis terão o maior aumento semanal desde Fevereiro

Combustíveis terão o maior aumento semanal desde Fevereiro

Atestar o depósito do carro vai ficar mais caro na próxima semana. A subida expressiva do petróleo e dos derivados, em conjunto com a queda do euro, vai fazer aumentar o preço dos combustíveis nos postos de abastecimento. Será mesmo a maior subida desde Fevereiro.
Combustíveis terão o maior aumento semanal desde Fevereiro
Bloomberg
Sara Antunes 24 de Novembro de 2016 às 18:21

A subida dos preços do petróleo e, consequentemente, dos derivados (o gasóleo e a gasolina), vai ditar uma subida expressiva dos preços dos combustíveis na próxima semana. Segundo os cálculos do Negócios, o preço médio do gasóleo simples e da gasolina simples de 95 octanas deverão aumentar cerca de três cêntimos por litro. Fonte do sector confirma que os preços deverão aumentar nesta dimensão. 


A confirmar-se a evolução, este será o maior aumento dos combustíveis desde Fevereiro deste ano.

 

A justificar esta subida expressiva está a evolução dos preços da matéria-prima e do euro. Os preços do petróleo estão a subir 4,55% esta semana, um valor que é elevado para 4,85% se analisados os valores em euros.

 

No caso do gasóleo a subida semanal (com base no preço médio com dados até esta quinta-feira) é de 7,42%, em dólares, e de 8,60%, em euros. Na gasolina o aumento é de 7,66%, em dólares, e de 8,8%, em euros.

 

O aumento do ouro negro está relacionado com a expectativa em torno do corte de produção por parte dos membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP), e está a ser reflectida também na negociação do gasóleo e da gasolina nos mercados internacionais.

E se a previsão de um acordo no seio da OPEP para se concretizar o corte de produção elevou os preços da matéria-prima, os indicadores económicos e as expectativas em torno da subida de juros nos EUA têm pressionado o euro contra o dólar. A moeda única europeia chegou mesmo a negociar em mínimos de 2015 esta quinta-feira. E as previsões da maioria dos economistas apontam mesmo para que o euro atinja a paridade contra o dólar, ou seja, que um euro recue para valer um dólar.




A sua opinião23
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Vergonha de jornalismo Há 1 semana

Há neste jornal com data de 25 - um dia depois desta peça, que diz que petróleo cai 4%
cá aumenta 2% lá cai 4%

Anónimo Há 2 semanas

Meus amigos isto só tem uma solução solução era substituirem todos estes presidentes da GALP EDP E ÀGUAS que não sabem mais que não seja aumentarem aos produtos para o fim do ano apresentarem lucros á custa de quem trabalha e eles terem estes produtos mais baratos que ponham também mandatos de 4 ans

Hugo Há 2 semanas

Pedro Pereira e a eletricidade vem de onde? É que se vier de uma central a carvão é energia super ecológica...

José Manuel Norinho Há 2 semanas

Numa semana o dolar USA subiu de 0,94121 para 0,94698 até este momento. Acham que uma subida de 0,5 cêntimos justifica a subida de 3,5 cêntimos nos combustíveis? e a descida de quase 10 dolars no preço do brent na semana passada em quanto se manifestou em cotação dos combustíveis? Até este momento nesta semana os brent subiu 4,5 dolars. Agora tirem as conclusões.

ver mais comentários
pub