Energia Combustíveis vão descer pela primeira vez em cinco semanas

Combustíveis vão descer pela primeira vez em cinco semanas

Os preços dos combustíveis deverão descer na segunda-feira, pela primeira vez desde meados de Outubro.
Combustíveis vão descer pela primeira vez em cinco semanas
Reuters
Sara Antunes 17 de novembro de 2017 às 12:45

Os preços dos derivados de petróleo desceram na semana passada, ao mesmo tempo que o euro se fortaleceu face ao dólar. Dois comportamentos que ajudam a reduzir a factura que os portugueses pagam para abastecerem o depósito do carro.

 

Tendo em consideração a evolução do gasóleo e da gasolina no mercado internacional e do euro, o preço da gasolina 95 octanas simples deverá descer três cêntimos para 1,501 euros, de acordo com os preços médios praticados esta semana em Portugal, segundo os dados disponibilizados pela Direcção Geral de Energia. Isto depois de na semana passada, a gasolina ter subido para o valor mais elevado desde Agosto de 2015.

 

Já o preço do litro do gasóleo simples deverá descer um cêntimo por litro para 1,253 euros, aliviando assim dos máximos de Janeiro atingidos na semana passada.

 

A evolução dos preços dos combustíveis é calculada pelo Negócios, tendo por base a evolução das matérias-primas e do euro. Fonte do sector confirmou que a descida dos combustíveis rondará estes valores, sendo que os preços e a dimensão da actualização dos mesmos depende de cada marca de abastecimento e da zona onde se encontra.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar