Banca & Finanças Começou AG do BPI que pode ditar perda de controlo do BFA

Começou AG do BPI que pode ditar perda de controlo do BFA

A reunião, que tem como objectivo aprovar a venda de 2% do BFA à Unitel, para reduzir a exposição do banco a Angola, ocorre depois da autorização do BNA e do conforto dado pelo BCE relativamente à solução.
Começou AG do BPI que pode ditar perda de controlo do BFA
Paulo Duarte/Negócios
Alexandra Noronha 13 de dezembro de 2016 às 14:42

Já começou a assembleia-geral do BPI que vai votar a venda de 2% do BFA à Unitel, de Isabel dos Santos. A reunião irá concluir a AG suspensa do dia 23 de Novembro, por decisão do CaixaBank, que quis ter a certeza que a operação chegava para cumprir os requisitos do BCE quanto a esta questão.

O banco central já veio esclarecer que a venda era suficiente ainda que através de um comunicado do próprio BPI.

 

Dois anos depois de o Banco Central Europeu ter levantado a questão espera-se hoje que seja resolvida, quase em cima do prazo de 15 de Dezembro. E é essencial para avançar com a oferta pública de aquisição (OPA) do banco catalão.

 

Esta questão pode, no entanto, não ser pacífica dada a oposição dos pequenos accionistas, representados pela ATM e apoiadas pelo accionista Violas Ferreira Financial e que já ameaçaram impugnar a venda do BFA. 

Ontem, o Banco Nacional de Angola deu a luz verde a esta operação através da qual o BPI deixa de ter 50,1% no BFA e ficou no 48,1%. 





A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 13.12.2016


Comemorações Oficiais

FP . CGA – 40 ANOS A ROUBAR OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO

Porque é que 7 000 000 de trabalhadores e pensionistas privados têm de ser cada vez mais sacrificados para sustentar a reposição dos salários, das pensões e das mordomias de 1 000 000 de ladrões FP / CGA?

São medidas injustas que vão enterrar os portugueses em mais de 2 000 milhões €, por ano, todos os anos!

Chega de mordomias para os funcionários públicos, são as 35 horas de trabalho, os dias de férias que começam nos 25 dias, as pensões muito acima dos restantes mortais e com muito menos anos de descontos, o bloco de "desculpas" para faltar ao trabalho, as inúmeras greves dos inúteis sindicatos, a impossibilidade de serem despedidos.

comentários mais recentes
Anónimo 13.12.2016


Comemorações Oficiais

FP . CGA – 40 ANOS A ROUBAR OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO

Porque é que 7 000 000 de trabalhadores e pensionistas privados têm de ser cada vez mais sacrificados para sustentar a reposição dos salários, das pensões e das mordomias de 1 000 000 de ladrões FP / CGA?

São medidas injustas que vão enterrar os portugueses em mais de 2 000 milhões €, por ano, todos os anos!

Chega de mordomias para os funcionários públicos, são as 35 horas de trabalho, os dias de férias que começam nos 25 dias, as pensões muito acima dos restantes mortais e com muito menos anos de descontos, o bloco de "desculpas" para faltar ao trabalho, as inúmeras greves dos inúteis sindicatos, a impossibilidade de serem despedidos.

pub
pub
pub
pub