Banca & Finanças Comissão de inquérito à CGD é retomada esta terça-feira

Comissão de inquérito à CGD é retomada esta terça-feira

Depois de uma suspensão de mês e meio, devido aos trabalhos relativos ao Orçamento do Estado para 2017, deputados ouvem terça-feira Guilherme D'Oliveira Martins, enquanto antigo Ministro das Finanças.
Comissão de inquérito à CGD é retomada esta terça-feira
Tiago Freire 05 de dezembro de 2016 às 17:22

Depois de um início de vida acidentado e com uma suspensão de mês e meio, a comissão parlamentar de inquérito à Caixa Geral de Depósitos volta esta terça-feira a abrir as portas para uma nova audição. O protagonista será Guilherme D'Oliveira Martins, na qualidade de antigo ministro das Finanças, entre 1999 e 2002. É a primeira audição em mais de dois meses, depois de António Domingues - agora de saída do banco público - ter sido ouvido a 27 de Setembro.

Até agora compareceram junto dos deputados José de Matos, Carlos Costa e Mário Centeno, todos em Julho, mês em que a comissão foi criada, e depois António Domingues, no final de Setembro.

Com o aproximar dos trabalhos do Orçamento do Estado de 2017, e por entre disputas com a CGD e o Banco de Portugal sobre que informações poderiam negar à comissão, esta acabou por ser suspensa. O objectivo da decisão formal foi parar a contagem do seu prazo, que é de 120 dias, podendo ser estendido até 180 dias. A suspensão dos trabalhos vigorou entre 15 de Outubro e o final de Novembro (depois de inicialmente, por erro, a interrupção do prazo ter sido fixada até final de Dezembro). 

Já contando com a suspensão do prazo, a comissão já consumiu 75 dos 120 dias previstos como limite máximo, havendo ainda uma extensa lista de personalidades por ouvir e muita documentação pedida e ainda não recebida. Com o Orçamento do Estado aprovado e com uma nova administração a caminho, é provável que nos próximos dias se proceda a mais marcações de forma a acelerar o trabalho dos deputados. Paulo Macedo, o futuro líder executivo da Caixa, deverá ser uma das personalidades chamadas, mesmo que só daqui a algumas semanas. 

Guilherme D'Oliveira Martins foi ministro das Finanças entre 1999 e 2002. Nesse período, a Caixa conheceu dois presidentes, João Salgueiro e António de Sousa. A audição inicia-se às 15 horas.


A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 05.12.2016

Pra que servem as comissoes de inquerito? Isso dá algum resultado?O vara vai preso? Os caloteiros vão presos?Os vigaros e corruptos vão presos?Quem provocou o desfalque vai preso? Para mim é conversa fiada.Os gatunos que me roubaram 46.000€ do bes e do banif em açoes foram presos?NADA!!Ainda se riem

pub
pub
pub
pub