Indústria Comissão Europeia visita empresa de Condeixa que recebeu dinheiro da UE

Comissão Europeia visita empresa de Condeixa que recebeu dinheiro da UE

A Dominó, que actua no sector da indústria cerâmica, foi um dos projectos aprovados no Fundo Europeu de Investimentos Estratégicos e soube manter a produção em tempo de crise.
Comissão Europeia visita empresa de Condeixa que recebeu dinheiro da UE
Alexandra Noronha 20 de abril de 2017 às 11:15

A representante da Comissão Europeia (CE) em Portugal, Sofia Colares Alves, irá visitar na próxima segunda-feira, 24 de Abril, a empresa Dominó, em Condeixa, para conhecer o impacto do investimento europeu na unidade.


Em comunicado, a CE realçou que "a Dominó, com sede em Condeixa, é um exemplo do relançamento da indústria cerâmica com apoios da UE. Com 180 funcionários, a empresa passou por dificuldades durante a crise. Soube manter empregos e salários, e exporta agora 65% da produção para 60 mercados; produz – num dia de produção mais intenso – 14 mil metros quadrados de revestimentos e pavimentos. Esta PME superou o difícil contexto económico e financeiro português do período da recessão e elevou o seu negócio ao investir em exportação e tecnologia".


Portugal viu 13 projectos aprovados no âmbito do Fundo Europeu de Investimentos Estratégicos, segundo o mesmo comunicado.


A empresa explica no seu site que "finalizou recentemente um projecto de investimento de 8 milhões de euros, adquirindo equipamento que lhe permitirá dispor de tecnologia de ponta na produção de pavimentos e revestimentos cerâmicos".

No âmbito do projecto de internacionalização, a Dominó apostou nos mercados dos EUA, Israel, Áustria, Alemanha, Holanda, Reino Unido, Espanha, França, Angola, Bélgica, Cabo Verde, República Checa, Itália, Luxemburgo, Polónia, Eslováquia, Eslovénia, Emirados Árabes Unidos, Chipre, Croácia, Arábia Saudita e África do Sul.


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub