Aviação Compra de 10 mil milhões junta gigantes da aeronáutica francesa

Compra de 10 mil milhões junta gigantes da aeronáutica francesa

Com a compra da Zodiac pela Safran, as duas empresas deverão, combinadas, criar o terceiro maior fornecedor do mundo de equipamento aeronáutico. As acções da Zodiac dispararam quase 24% na sessão de hoje.
Compra de 10 mil milhões junta gigantes da aeronáutica francesa
Reuters
Paulo Zacarias Gomes 19 de janeiro de 2017 às 12:36

A Safran, fabricante francês de motores para aeronaves, anunciou a compra do fornecedor de assentos de avião Zodiac, uma operação de 10 mil milhões de euros que criará o terceiro maior grupo mundial de fabricantes de componentes aeronáuticos.


A aquisição, conhecida esta quinta-feira, 19 de Janeiro, envolve o pagamento de 29,47 cêntimos por cada acção da Zodiac, o que supõe um prémio de 26% sobre a cotação de fecho desta quarta-feira.


Se a Safran conseguir, através desta compra, adquirir mais de metade do capital, o resto da operação será concluído através da troca de 0,485 acções da Safran por cada uma das remanescentes da Zodiac (rácio de 97 acções da Safran por cada 200 da Zodiac).


A Safran distribuirá ainda um dividendo especial de 5,5 euros por título, despendendo 2.300 milhões de euros. A família Peugeot, fundadora da Zodiac, garantiu que manterá as acções da Safran durante pelo menos dois anos, tal como a Fonds Strategique de Participations.  


Depois de divulgada a compra, as acções da Zodiac chegaram a disparar 23,77% para 28,85 euros, no valor mais elevado desde Agosto de 2015. Já a Safran esteve a ganhar mais de 3,5% para próximos dos 70 euros.



Combinados, os negócios das duas empresas ascenderão a 21 mil milhões de euros e terão um total de 92 mil empregados, mais de 45 mil dos quais a trabalhar em França.


O presidente francês, François Hollande, mostrou-se favorável à aquisição, referindo-se-lhe, em declarações citadas pela Bloomberg, como uma "bonita operação industrial." O Estado francês detém 14% da Safran. 

A soma das duas empresas deverá gerar poupanças de 200 milhões de euros, devendo contribuir para afastar a Zodiac do percurso difícil dos últimos meses, em que foi obrigada a emitir vários avisos de queda de lucros e viu as acções recuarem na sequência de atrasos no fornecimento de assentos para o Airbus A350 (na foto).




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub