Empresas Concorrência aprova controlo conjunto da EID pela Cohort, IAPMEI e Empordef

Concorrência aprova controlo conjunto da EID pela Cohort, IAPMEI e Empordef

A Autoridade da Concorrência (AdC) aprovou a compra do controlo conjunto da EID - Empresa de Investigação e Desenvolvimento de Electrónica pelo grupo britânico Cohort, pela Empordef e pelo IAPMEI, segundo um aviso publicado.
Concorrência aprova controlo conjunto da EID pela Cohort, IAPMEI e Empordef
Lusa 25 de setembro de 2017 às 22:50

A decisão da Autoridade da Concorrência, liderada por Margarida Matos Rosa (na foto), de não se opor à operação de concentração foi tomada na passada quinta-feira, alegando o Conselho da AdC que a operação "não é susceptível de criar entraves significativos" à concorrência efectiva nos mercados em causa na operação.

 

Fundada em 1983, a EID é uma indústria portuguesa de alta tecnologia dedicada às comunicações navais e tácticas, mensagens militares e integração de sistemas, tendo como principais clientes as Forças Armadas Portuguesas e da Espanha, Holanda, Bélgica, Reino Unido, Argélia, Egipto, Emirados Árabes Unidos, Arábia Saudita, Kuwait, Bahrein, Bangladesh, Timor-Leste, Singapura, Malásia, Indonésia, Filipinas, Austrália e Brasil.

 

A Cohort é uma empresa cotada e sedeada no Reino Unido, focada na área, terrestre, marítima e aérea.

 

A empresa tecnológica de defesa - que fazia parte da Empordef, holding das indústrias de defesa portuguesas, em processo de liquidação desde 2015 - já era detida em 57% pelo grupo Cohort, em resultado de uma venda acordada com o Governo de Pedro Passos Coelho, no âmbito da extinção da Empordef e da política de privatização em curso, mas os britânicos queriam ainda comprar mais capital da EID, que só agora concretizaram.

 

Na primeira fase da compra, concluída a 28 de Junho de 2016, o grupo Cohort ficou accionista de 56,89%, em resultado da venda das posições da Rohde & Schwarz (29,65%) e da Efacec Capital (27,24%).

 

Inicialmente, o executivo de Passos Coelho tinha colocado à venda o capital que a Empordef tinha na EID (38,57%) mais a posição do Iapmei (4,52%).

 

No ano passado, já no Governo de António Costa, foi revertida a venda de 99,98% da EID à Cohort e anunciado um novo acordo entre o Governo e a empresa britânica, que previa a venda da EID até ao Outono de 2016, mas garantindo as negociações que os 20% de capital detidos pelo Estado teriam direitos accionistas especiais e salvaguardariam o interesse do Estado e, algumas matérias.

 

O IAPMEI - Agência para a Competitividade e Inovação, é um instituto público que tem como missão promover a competitividade e o crescimento das empresas.

 

Segundo o aviso da AdC, é através da Thunderwaves que é exercido o controlo conjunto da Cohort, empresa dedicada ao sector da defesa ao nível de sistemas electrónicos, computacionais, comando e controlo e de comunicações militares, e no sector civil, na elaboração e implementação de sistemas de gestão da rede ferroviária e fornecimento de produtos electromecânicos para indústria de exploração petrolífera offshore.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub