Automóvel Concorrente da Tesla suspende construção de fábrica de mil milhões em Las Vegas

Concorrente da Tesla suspende construção de fábrica de mil milhões em Las Vegas

A Faraday Future, start-up norte-americana de automóveis eléctricos, “suspendeu” os planos de construir uma fábrica no estado do Nevada. Nesta infra-estrutura, orçamentada em quase 900 milhões de euros, ia ser construído o modelo FF91.
Concorrente da Tesla suspende construção de fábrica de mil milhões em Las Vegas
Bloomberg
Ana Laranjeiro 11 de julho de 2017 às 13:20

A concorrente da Tesla decidiu desistir, pelo menos para já, da construção de uma fábrica em Las Vegas, no estado norte-americano do Nevada. A Faraday Future, start-up americana de carros eléctricos, tinha previsto investir mil milhões de dólares (mais de 877 milhões de euros no câmbio actual) na construção desta infra-estrutura onde ia ser desenvolvido o modelo FF91.

A Faraday Future, que definiu-se como concorrente da Tesla, é apoiada pelo empreendedor chinês Jia Yuetin, cujos activos foram congelados na China. Neste sentido, a empresa, escreve o Financial Times (FT), procura novos investidores.


A fábrica que a start-up previa construir serviria para que a Faraday Future desenvolvesse o modelo FF91, que foi apresentado em Janeiro, no Consumer Electronics Show. Mas, adianta a mesma fonte, após a crise de liquidez que enfrentou o conglomerado empresarial de Jia Yuetin, o LeEco, que operava em áreas como a comunicação social e tecnologia, vários elementos de topo da Faraday saíram durante o último ano e os receios em torno do financiamento da estrutura têm vindo a adensar-se.

Perante este cenário, há receios crescentes que os prazos para a conclusão deste veículo – 2018 – não sejam cumpridos.


A Faraday Future, em comunicado emitido esta segunda-feira e citado pelo jornal britânico, apontou que "suspendeu" a construção da infra-estrutura em Las Vegas no âmbito de "uma mudança significativa na nossa estratégia de negócio". "Em resultado desta mudança na direcção, estamos em processo de identificação de uma infra-estrutura produtiva que ofereça um rápido ritmo para o começo da produção e esteja alinhada com as nossas opções estratégias de futuro".


Quanto à angariação de investimento, o FT adianta que, há dois anos, a empresa contratou Stefan Krause, antigo executivo do Deutsche Bank e da BMW. O responsável estima que a empresa precise de mil milhões de dólares durante os dois próximos anos para conseguir colocar no mercado o FF91.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
Saber mais e Alertas
pub