Aviação Conheça o Airbus A330 que a TAP pintou com as cores dos anos 1970

Conheça o Airbus A330 que a TAP pintou com as cores dos anos 1970

A TAP tem estado a preparar, nas últimas semanas, uma pintura especial para um dos A330-300 que alugou à Singapore Airlines. Os trabalhos ficaram concluídos esta semana e o Negócios conseguiu ter acesso a uma imagem exclusiva antes da apresentação oficial.
Conheça o Airbus A330 que a TAP pintou com as cores dos anos 1970
Daniel Lourenço
Bruno Simões 20 de junho de 2017 às 16:03

A TAP decidiu aplicar uma pintura "retro" num dos aviões Airbus A330-300 que adquiriu em regime de "leasing" à Singapore Airlines. A pintura é igual à que era utilizada na frota da transportadora nacional nos anos 1960 e 1970, e inclui a designação "Transportes Aéreos Portugueses" ao longo da fuselagem, bem como o antigo símbolo no estabilizador vertical e nos "winglets", que também foram pintados.

Embora não haja confirmação oficial, o avião deverá chamar-se "Portugal" (é essa a designação que surge nos dois locais por baixo das janelas do cockpit em que habitualmente é colocado o nome das aeronaves da TAP).

 

A aeronave em causa, com matrícula CS-TOV, chegou a Portugal no final de Maio e passou as últimas semanas nos hangares da TAP no aeroporto da Portela, longe de olhares indiscretos. Apesar disso, foram surgindo, nesse período, diversas imagens das diferentes etapas da pintura da aeronave em fóruns especializados em aviação e "planespotting".

 

A pintura está já finalizada na totalidade, e inclui detalhes como a bandeira portuguesa e a escudo de armas na parte frontal, debaixo do nome. Este esquema de cores era visível na frota da TAP entre 1960 e 1970 (de que é exemplo este Sud Aviation SE-210 Caravelle) Esta manhã, segundo apurou o Negócios, o Airbus A330 esteve a fazer testes de motores no aeroporto de Lisboa e deverá entrar ao serviço nos próximos dias. A cabine da aeronave também foi alvo de intervenção.

 

Ao Negócios, fonte oficial da TAP explicou que a aeronave está em "processo de certificação" pela Autoridade Nacional de Aviação Civil, algo que é exigido a cada avião que inicia operação em território português. O A330 tinha, originalmente, matrícula de Singapura, pelo que precisa de receber "luz verde" da ANAC para operar com o novo registo português. Este A330-300 entrou ao serviço em 2009.

 

A TAP pretende fazer uma apresentação pública desta nova pintura, embora ainda não tenha anunciado a data em que ela se irá concretizar.

De acordo com informações não confirmadas, a TAP vai ainda aplicar uma pintura especial a outra aeronave A330-300. Neste caso, serão apresentados os principais destinos turísticos do país na fuselagem da aeronave.




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 20.06.2017

Cores do tempo em que Portugal era grande. De Lisboa a Luanda e Lourenço Marques a TAP pública tinha muita razão de ser. E chegaram a ter Jumbos, Boeing 747, ainda nessa época.

comentários mais recentes
Anónimo 22.06.2017

rbfafe, nesse tempo até nos EUA havia segregação racial e racismo, assim como uma cultura de misoginia muito feia. Foram depois desmanteladas gradualmente como aqui muita coisa injusta também foi desmantelada gradualmente, e bem, ainda que por vezes com excessos que fizeram da emenda pior do que o soneto. E em Portugal as más emendas revelaram-se profundamente ruinosas e irreversíveis. Os EUA tiveram mais cabeça e carácter.

rbfafe 21.06.2017

Sim, no tempo da fome e em que uma mulher tinha de pedir autorização ao marido para sair do pais e que era bom Anónimo!

Anónimo 20.06.2017

Cores do tempo em que Portugal era grande. De Lisboa a Luanda e Lourenço Marques a TAP pública tinha muita razão de ser. E chegaram a ter Jumbos, Boeing 747, ainda nessa época.

pub
pub
pub
pub