Desporto Conselho de Disciplina da FPF pede celeridade na investigação às denúncias do FC Porto

Conselho de Disciplina da FPF pede celeridade na investigação às denúncias do FC Porto

O Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) pediu celeridade na investigação às denúncias do FC Porto sobre a alegada influência do Benfica na arbitragem, advertindo não ter recebido qualquer participação.
Conselho de Disciplina da FPF pede celeridade na investigação às denúncias do FC Porto
Reuters
Lusa 15 de junho de 2017 às 18:54

Num comunicado, o presidente do Conselho de Disciplina (CD) da FPF, José Manuel Meirim, lamenta a existência de procedimentos disciplinares em curso, a duas semanas do fim da época futebolística, pedindo celeridade, nomeadamente aos responsáveis pela instrução do processo: "Tal, contudo, não deve ser um entrave a que o CD da FPF e todos os operadores do futebol, desde logo também a Comissão de Instrutores da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP), façam todos os esforços que são reclamados por todos aqueles que verdadeiramente amam o futebol como modalidade desportiva que se desenrola em conformidade com os valores desportivos".

 

"Apela-se a que todos tenham um empenhamento redobrado de molde a afastar, de forma célere, não só o manto de suspeitas que escurece o universo das competições desportivas profissionais, mas ainda para que todos os procedimentos disciplinares, independentemente da sua natureza ou objecto, venham a alcançar a mais rápida resposta final possível, de molde a que tais competições se disputem, desde o dealbar da época desportiva 2017/2018, num ambiente de regularidade e estabilidade", remata o comunicado.

 

Meirim justificou a quebra do silêncio com "razões ponderosas e objectivas, que reclamem a tomada de uma posição pública junto de todos os operadores do futebol e, acima de tudo, perante aqueles que vêem nessa modalidade desportiva uma referência quase diária, isto é, os adeptos, os amantes do desporto e o público em geral".

 

"Hoje toda a imprensa confere assinalável destaque a um conjunto de declarações e factos, de diversa natureza e origem. Refere-se ainda a investigação do Ministério Público e do CD da FPF. Assim sendo, perante este retrato público, não pode o CD deixar de se exprimir, em nome da confiança que devem merecer as instituições desportivas que exercem o poder disciplinar junto de um, como vimos, vastíssimo universo de entidades e pessoas", prossegue.

 

No mesmo comunicado, Meirim recorda a abertura de um processo de inquérito, após o director de comunicação do FC Porto, Francisco J. Marques, ter divulgado mensagens de correio eletrónico alegadamente trocadas entre o director de conteúdos da BTV, Pedro Guerra, e o ex-árbitro Adão Mendes.

 

Na terça-feira, o responsável portista, novamente no programa "Universo Porto", do Porto Canal, revelou mensagens de correio eletrónico trocadas entre o presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, e o antigo presidente da LPFP Mário Figueiredo, que assegurava "estar sempre do seu lado", assim como emails recebidos e enviados pelo assessor jurídico da SAD do Benfica, Paulo Gonçalves, sobre delegados da LPFP e árbitros.

 

"Perante novas declarações e notícias, foi determinado anexar esses elementos ao processo de inquérito", sustenta o CD da FPF, acrescentando: "O mesmo sucederá amanhã perante as notícias de hoje e sempre assim será quando o CD tomar conhecimento de elementos relativos ao objecto do inquérito. Esclareça-se, aliás, que ao CD não chegou, até a este momento, qualquer denúncia, participação, queixa, seja de quem quer que seja ou mesmo anónima".


A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Água Ráz Há 1 semana

Os benfiquistas apregoarem que os mails não têm valor porque vieram de denuncia anónima e foram roubados . Esquecem eles que o apito dourado também nasceu de denuncia anónima e as escutas foram atiradas por um anónimo pela janela do Orelhas a dimensão disto vai até ao estado o polvo é grande

O Polvo-rosa Há 1 semana

Vê-se agora que o J.Marques tinha razão :se tivesse mandado tudo cá para fora de uma só vez tudo já estaria abafado.Por que não veio logo o Meirim pedir investigação na primeira vez? Ah pois o polvo é grande . Eles bem gritam nas TVs como o parvalhão da TVi :"se o Maques tem mais porque não disse

O Polvo desmacarado Há 1 semana

A verdade desportiva era alterada dentro das quatros linhas,só um cego que não queira ver,o Benfica tinha que ganhar em todas as competições custe o que custar e os adversários eram empurrados para traz vê no futebol e nas outras modalidades.

Zé do Boné Há 1 semana

Ou seja , foi preciso o J.M. vir ao Porto Canal , porque as TVs ,e os jornais de Lisboa,tão lestos a dar noticias do Sr Pinto da Costa e esposas não sabiam q os emails estavam na PGR de onde desapareceram as escutas q estavam em segredo de justiça e apesar disso os padres do SLB entoavam nas TVs

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub