Empresas Consoveyo “armazena” tabaco na Tailândia

Consoveyo “armazena” tabaco na Tailândia

A maiata Consoveyo, ex-Efacec Handling Solutions, que foi adquirida pela alemã Körber há dois anos, ganhou o fornecimento de dois armazéns totalmente automatizados para a Thai Tobacco Monopoly (TTM), empresa líder na produção e distribuição de tabaco na Tailândia.
Consoveyo “armazena” tabaco na Tailândia
A empresa da Maia vai fornecer dois armazéns totalmente automatizados à Thai Tobacco Monopoly (TTM), tabaqueira líder de mercado na Tailândia.
Rui Neves 08 de novembro de 2017 às 17:00

A comemorar dois anos de integração no grupo alemão Körber, a ex-Efacec Handling Solutions, que mudou de nome para Consoveyo na Primavera passada, emprega actualmente 186 pessoas na fábrica da Maia, mais do dobro do que o pessoal que tinha em 2015, e "prevê chegar aos 191 até ao final do ano", adiantou ao Negócios fonte oficial da empresa.

 

Um crescimento do efectivo que acompanha a expansão internacional da Consoveyo, que acaba de entrar no mercado asiático com a conquista da Thai Tobacco monopoly (TTM), a empresa líder na produção e distribuição de tabaco na Tailândia.

 

A empresa maiata vai fornecer dois armazéns totalmente automatizados de grande altura - um para matéria-prima (fardos de folhas de tabaco sobre paletes) e outro para produtos acabados (estojos de cigarros embalados em caixas de cartão e transportados sobre paletes "standard").

 

O armazém de matérias-primas será composto por quatro unidades de transelevadores com aproximadamente 10 metros de altura, projectadas para uma capacidade total de 1.900 paletes, e o armazém automático de produto acabado será equipado com seis unidades de transelevadores e transportadores integrados para conectar diferentes andares, com aproximadamente 10 metros de altura, totalizando uma capacidade total de 4.700 paletes, detalha a Consoveyo, em comunicado.

 

"O projecto TTM é o nosso primeiro projecto na Tailândia e representa um importante passo para a crescente lista de referências da Consoveyo na Ásia, reforçando a nossa presença e o nosso reconhecimento na região", afirma Jorge Couto, director de vendas e de marketing da empresa.

 

"Este projecto representa, de forma exemplar, as potencialidades da Consoveyo e a excelente capacidade de adaptação das soluções para cada caso, cada empresa, cada mercado de forma muito específica", enfatiza o mesmo gestor.

 

Foi a Consoveyo/Efacec Handling Solutions que concebeu os sistemas de entrega e armazenamento de bagagens em aeroportos em Portugal, na Índia e em Singapura, mas também os sistemas de logística dos armazéns da Unicer, em Vialonga, e do armazém da Coca-Cola, em Madrid. Entre outros projectos, conquistou também clientes como a Atlantic Pharma, Bial, Cerealis (Milaneza), Embraer, Mas (grupo Portucel Soporcel) e Sköda.

 

Sem querer revelar o valor do negócio firmado com a TTM nem o volume de vendas totais da Consoveyo, a mesma fonte oficial da empresa adiantou apenas que o grupo Körber, que tem sede em Hamburgo e emprega cerca de 11.500 pessoas, fechou o último exercício com um resultado de 171 milhões de euros e uma facturação superior a 2,2 mil milhões de euros.




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 1 semana

Bem longe, na Tailândia. Cá os sindicatos jamais permitiriam "fornecer dois armazéns totalmente automatizados" a uma organização lusitana. É contra natura aos olhos sindicais. Qualquer dia até a própria Consoveyo muda-se para fora de Portugal. Aguardem.

comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana

Washercar - ????? ??????? ?????? ????? ???????? ??????????? ???????????

????? ? ????????????????? ? ????????? ?????? ??? ????? ????? ?? ????? ???????? ??????? ? ?????????? ???????????????????, ???? ???????? ? ??????? ?????? ????? ?????? ???? ???????? ??????? ???? ???????? ?? 5 ??????? ? ??????

Anónimo Há 1 semana

Enquanto as associações sindicais de malfeitores, muito abundantes e populares em Portugal, não deixarem que se implemente a tecnologia disponível, a inteligência artificial e a robótica desenvolvidas por pessoas esforçadas, visionárias e talentosas, desde inovadores a investidores passando por empreendedores, nem por artes mágicas aparecem. Repito, nem por artes mágicas! Esse é o problema subjacente à chamada crise. E acarreta custos enormes. Mas o mercado já nem se importa. É para avançar. E não é com a ajuda de banquetas. Essas só empatam e agravam o problema.

Anónimo Há 1 semana

A economia portuguesa, subjugada às vontades de revolucionárias mentalidades reinantes presas a um passado tão longínquo que parece o de outro mundo e ao peculiar sistema político-legal em vigor que dali resultou, frontalmente anti-mercado, delirantemente marxista, obtusamente proteccionista, irresponsavelmente keynesiano, convenientemente neoludita e criminosamente corrupto, não consegue criar condições para atrair o melhor e mais adequado talento e capital disponível a cada momento no mercado de factores externo, nem tão pouco fixar o que cá vai sendo gerado. Os custos desta ignóbil imprudência, assente na extracção de valor e avessa à criação daquele, são sobejamente conhecidos. observador.pt/2017/11/02/economia-portuguesa-esta-presa-por-quatro-grandes-arames/

Anónimo Há 1 semana

Bem longe, na Tailândia. Cá os sindicatos jamais permitiriam "fornecer dois armazéns totalmente automatizados" a uma organização lusitana. É contra natura aos olhos sindicais. Qualquer dia até a própria Consoveyo muda-se para fora de Portugal. Aguardem.

pub