Construção Construção cresce dois meses seguidos pela primeira vez em 11 anos

Construção cresce dois meses seguidos pela primeira vez em 11 anos

O sector da construção está a dar claros sinais de recuperação, registando variações positivas.
Construção cresce dois meses seguidos pela primeira vez em 11 anos
Krisztian Bocsi / Bloomberg
Sara Antunes 10 de abril de 2017 às 12:35

O índice de produção na construção cresceu 2% em Fevereiro, quando comparado com igual período do ano passado, revelou esta segunda-feira, 10 de Abril, o Instituto Nacional de Estatística (INE). Este é assim o segundo mês consecutivo de aumento do índice, com os dados ajustados de efeitos de calendário e de sazonalidade.

 

A análise é feita com base na média móvel dos últimos três meses. Mas não há histórico de aumentos desde, pelo menos Março de 2006, altura em que recuam os dados do INE.

 

A justificar esta evolução esteve a construção de edifícios, cujo aumento foi de 2,2% e representa o terceiro mês consecutivo. Já as obras de engenharia registaram uma descida de 0,3%, depois de nos últimos dois meses terem estabilizado.

 

O aumento da construção tem levado ao crescimento do emprego neste sector. Em Fevereiro, o índice de emprego cresceu 2,4%, em termos homólogos, o que representa o quarto mês consecutivo de aumento do emprego neste sector.

 

Já as remunerações continuam a cair, tendo descido 3,4%, o que ainda assim representa uma travagem na queda das remunerações. 




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 10.04.2017

Tudo numa boa, portanto! Palminhas olaré palminhas e viva a geringonça, tão mal compreendida pelos "profetas da desgraça", mas tão querida pelos funcionários, sindicatos comunas, subsídio- dependentes e dos iluminados de esquerda, moralmente superiores, que acreditam (mas negam) no Pai Natal.

Anónimo 10.04.2017

Isto é só rir... a semana passada estavam as Construtoras todas a falir pois não havia obras, hoje temos indicadores em alta,.... é o chamado Novo Tempo.... uma notícia desfavorável logo a seguir duas favoráveis.....