Construção Construção do Reino Unido com pior trimestre em quatro anos

Construção do Reino Unido com pior trimestre em quatro anos

A estagnação na construção de prédios de habitação provocou o pior trimestre em quatro anos da construção civil no Reino Unido. A justificar esta quebra está o aumento da incerteza económica provocada pela decisão britânica de abandonar a União Europeia (UE).
Construção do Reino Unido com pior trimestre em quatro anos
Negócios 11 de Novembro de 2016 às 13:18

Os dados oficiais divulgados esta sexta-feira, 11 de Novembro, mostram que entre Julho e Setembro deste ano a produção do sector da construção no Reino Unido recuou 1,1% face ao trimestre anterior. Esta evolução representa a maior queda deste sector em quatro anos, refere o instituto oficial de estatísticas britânico.

Ainda assim esta quebra foi ligeiramente menor do que as estimativas dos analistas que apontavam para uma redução de 1,4% no trimestre. Analisando somente a evolução em cadeia verifica-se que de Agosto para Setembro a produção do sector aumentou 0,3%, acima do crescimento de 0,2% antecipado pelos analistas consultados pela agência Reuters.

De acordo com o relatório citado pelo The Guardian, o sector da construção – que representa 6% da economia do Reino Unido – foi prejudicado pela incerteza ligada ao Brexit, votado favoravelmente em Junho passado pelo eleitorado britânico.

 

A contribuir para esta evolução está a estagnação verificada na construção de edifícios de habitação no trimestre, com os construtores a revelarem que efeitos provocados pelo Brexit estão a prejudicar as suas encomendas.

O Guardian nota que é esperado que a 23 de Novembro o ministro britânico das Finanças, Philip Hammond, anuncie um conjunto de medidas para combater a crónica escassez de habitações no Reino Unido e estimular a construção civil. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub