Indústria Continental ameaça travar investimentos em Portugal por falta de acesso à fábrica

Continental ameaça travar investimentos em Portugal por falta de acesso à fábrica

A fábrica de pneus em Vila Nova de Famalicão pode não receber mais investimentos devido à falta de investimento em acessos, um processo que se arrasta há anos, disse o seu director-geral em entrevista ao Eco.
Continental ameaça travar investimentos em Portugal por falta de acesso à fábrica
Negócios 25 de setembro de 2017 às 10:11
A fábrica da empresa alemã de produção de pneus facturou 830 milhões em 2016 e quer atingir os mil milhões até 2025. Mas admite travar investimentos devido à falta de acessos à fábrica no Lousado, no concelho de Vila Nova de Famalicão.

"Futuros investimentos nesta empresa estão dependentes claramente de acessos à fábrica que têm que ser garantidos", disse ao jornal Eco o director-geral da fábrica da Continental Mabor, Pedro Carreira. "Foi dado um sinal claríssimo ao Governo de que não podemos continuar com isto".


A multinacional alemã já investiu um total de 750 milhões de euros em Portugal em 29 anos, mas o investimento agora previsto de 150 milhões de euros pode estar em risco devido à falta de acessos.

"Inclusivamente estes milhões aprovados não quer dizer que sejam realizados e isto é muito claro", afirmou Pedro Carreira. Dos 150 milhões previstos, "50 milhões foram aprovados e investidos, estão no terreno, dos outros 100 milhões, 30 ou 40 milhões estão em fase de preparação, o restante não".

O gestor revela que a casa-mãe na Alemanha, a sede fica em Hannover, está descontente com o arrastar deste processo. "Claramente, neste momento está [descontente]. Houve um conjunto de promessas e estou a tentar aguentar que isto fique muito calmo e muito sereno, porque há muito mais coisas, maiores, em perspectiva. Nós claramente queremos que venham para cá e que se continue a apostar no investimento em Portugal. Mas para isso tem de ser conseguido tudo aquilo que foi prometido que ia ser feito".




pub