Indústria Continental ameaça travar investimentos em Portugal por falta de acesso à fábrica

Continental ameaça travar investimentos em Portugal por falta de acesso à fábrica

A fábrica de pneus em Vila Nova de Famalicão pode não receber mais investimentos devido à falta de investimento em acessos, um processo que se arrasta há anos, disse o seu director-geral em entrevista ao Eco.
Continental ameaça travar investimentos em Portugal por falta de acesso à fábrica
Negócios 25 de setembro de 2017 às 10:11
A fábrica da empresa alemã de produção de pneus facturou 830 milhões em 2016 e quer atingir os mil milhões até 2025. Mas admite travar investimentos devido à falta de acessos à fábrica no Lousado, no concelho de Vila Nova de Famalicão.

"Futuros investimentos nesta empresa estão dependentes claramente de acessos à fábrica que têm que ser garantidos", disse ao jornal Eco o director-geral da fábrica da Continental Mabor, Pedro Carreira. "Foi dado um sinal claríssimo ao Governo de que não podemos continuar com isto".


A multinacional alemã já investiu um total de 750 milhões de euros em Portugal em 29 anos, mas o investimento agora previsto de 150 milhões de euros pode estar em risco devido à falta de acessos.

"Inclusivamente estes milhões aprovados não quer dizer que sejam realizados e isto é muito claro", afirmou Pedro Carreira. Dos 150 milhões previstos, "50 milhões foram aprovados e investidos, estão no terreno, dos outros 100 milhões, 30 ou 40 milhões estão em fase de preparação, o restante não".

O gestor revela que a casa-mãe na Alemanha, a sede fica em Hannover, está descontente com o arrastar deste processo. "Claramente, neste momento está [descontente]. Houve um conjunto de promessas e estou a tentar aguentar que isto fique muito calmo e muito sereno, porque há muito mais coisas, maiores, em perspectiva. Nós claramente queremos que venham para cá e que se continue a apostar no investimento em Portugal. Mas para isso tem de ser conseguido tudo aquilo que foi prometido que ia ser feito".




A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Costa oportunista tu és é um grande fascista 04.10.2017

Zico vai pregar para a Coreia do Norte assim...que tens um convite logo a seguir para te transformares em comida de cão. Lá o trabalho é feito por escravos obedientes ao seu querido lider e pagos em senhas de racionamento frugais e nem piam quanto às horas de trabalho

Anónimo 02.10.2017

Pois és ZICO. Na tua defunta União Soviética, treinaram-se as tuas "filosofias", durante um século. Deu no que deu! Queres que para igual resultado as voltemos, por cá a praticar? Sabes, na minha terra, à falta de melhores cuidados, mandam-se os "maluquinhos" para o manicómio!!!

Anónimo 30.09.2017

O governo tem que intervir para que estas empresas ponham os trabalhadores a 35h semanais.

Zico 25.09.2017

Parece-me que os alemães devem dar bem mais e exigir bem menos. Já tiveram quatro anos de total subserviência. Agora as regras são outras. Têm que estar preparados para pagar mais aos trabalhadores. E têm que investir em melhores condições laborais também!

ver mais comentários
pub