Energia Costa: Portugal e Marrocos com interconexão eléctrica fará baixar factura da energia

Costa: Portugal e Marrocos com interconexão eléctrica fará baixar factura da energia

O primeiro-ministro cumpre hoje, em Rabat, o segundo e último dia da 13 Cimeira Luso-Marroquina, tendo como tema central o projecto de construção de um cabo para interconexão eléctrica, com 220 quilómetros, entre os dois países.
Costa: Portugal e Marrocos com interconexão eléctrica fará baixar factura da energia
O primeiro-ministro António Costa encontrou-se com o homólogo marroquino, Saadeddine El Othmani
Tiago Petinga/Lusa
Lusa 05 de dezembro de 2017 às 07:25
"O principal desafio que temos é o de estabelecermos a interconexão eléctrica. É uma oportunidade para podermos de uma modo sustentável contribuir para baixar e termos uma melhor factura energética", sustentou António Costa, no final do primeiro dia de cimeira.

Este projecto de investimento para a construção do cabo de interligação eléctrica deve arrancar no primeiro semestre de 2018 e está avaliado entre 500 e 700 milhões de euros, tendo como modelo técnico e financeiro o esquema de operação usado na ligação edificada entre a Holanda e o Reino Unido, que custou cerca de 600 milhões de euros.

No plano técnico, o cabo de interligação eléctrica permitirá a Portugal vender energia a Marrocos em alguns momentos de um determinado dia e, eventualmente, comprar em outras alturas desse mesmo dia. O transporte de energia far-se-á nos dois sentidos", completou o mesmo responsável.

De acordo com os estudos, que se encontram em fase de conclusão, o cabo deverá ligar a zona de Tavira, no Algarve, à cidade marroquina de Tânger.

Ainda segundo António Costa, com a conclusão do cabo de interligação eléctrica, "será reforçada a segurança do abastecimento energético dos dois países, através de uma maior diversificação das fontes de energia".

"A partir de agora é uma responsabilidade dos dois governos criarem o quadro necessário para que surjam os investimentos para a concretização desta obra. Esta é uma das prioridades das relações com Marrocos nos próximos anos", sustentou o primeiro-ministro.

No que respeita ao quadro global de relações económicas entre Portugal e Marrocos, o primeiro-ministro salientou a existência de mais de três centenas de empresas portuguesas com investimentos neste país.

"As exportações para Marrocos têm vindo a subir significativamente e há também investimentos marroquinos em Portugal. Há ainda a possibilidade de empresas marroquinas e portuguesas trabalharem em conjunto em vários países africanos onde estão presentes", acentuou António Costa.

A agenda de hoje de António Costa em Rabat será quase totalmente dedicada à cooperação económica, começando o dia com um pequeno-almoço com empresários portugueses.

Logo depois, o primeiro-ministro português fará uma intervenção na abertura do fórum empresarial luso-marroquino.

A reunião plenária entre os dois governos terá início a meio da manhã, tendo uma duração de cerca de uma hora, finda a qual está prevista a assinatura de acordos bilaterais.

Antes de regressar a Lisboa, António Costa marcará ainda presença num almoço empresarial, que decorrerá na sede do Tesouro Geral do Reino de Marrocos.



A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 5 dias

Investidores cuidado: Plantei à 10 anos um pinhal, agora um vizinho construiu lá um casebre para lazer(caça); o Costa obriga-me arrancar o pinhal até 15/3.

Anónimo Há 6 dias

OH costa. Não te preocupes tanto porque te fazes velho e nós não queremos perder-te prematuramente. Se baixares a o preço da electricidade, logo arranjas uma taxinha para manter a factura e o guito que não vai para a produtora nem para o consumidor. Vai para sustentar os inúteis da política.

SÍTIO MUITO MANHOSO Há 1 semana



... outrora, houve também quem dissesse que liberalizando os preços dos combustíveis , os ditos baixaram e foi e é o que se vê ! ! !

. . . será a mesma coisa com a electricidade ? ? ?

AGUARDEMOS . . .

Saber mais e Alertas
pub