Media Covões e Montez concluem primeira separação de rádios

Covões e Montez concluem primeira separação de rádios

A ERC já deu autorização para que Álvaro Covões passe a controlar, na totalidade, a Luso Canal, dona da rádio Radar. Arranca assim o fecho de um ciclo que se arrastava há cerca de dez anos entre os organizadores do Nos Alive e do Super Bock Super Rock.
Covões e Montez concluem primeira separação de rádios
Bruno Simão
Wilson Ledo 14 de julho de 2017 às 12:58

A primeira etapa da divisão de rádios entre os promotores de eventos Álvaro Covões e Luís Montez está concluída.

Uma deliberação da Entidade Reguladora da Comunicação Social (ERC), assinada no final de Junho e divulgada na passada sexta-feira, 14 de Julho, dá luz verde para que o fundador da Everything is New assuma o controlo exclusivo da Luso Canal, dona da estação Radar.


A empresa, com um capital social de 50 mil euros, era até agora dividida em partes iguais entre Álvaro Covões e Luís Montez. Depois de analisar as participações de Álvaro Covões em rádios nacionais, a ERC justifica que "não é ultrapassado o limite definido de 10% do total de licenças de âmbito local".


Em causa está a divisão das rádios Radar, Oxigénio e Marginal, criadas quando os dois promotores eram sócios na Música no Coração. Em 2007, Álvaro Covões saiu para fundar a Everything is New, que organiza o festival de música Nos Alive.

Como escreveu o Negócios, Covões ficaria com a Radar e a Oxigénio e Montez com a Marginal, divisão que foi confirmada aliás pelos dois empresários.


Entraram também na ERC pedidos autónomos de alteração de domínio dos operadores Rádio Comercial da Linha (dona da Oxigénio) e da Marginaudio (dona da Marginal), no primeiro caso a favor de Covões, no segundo de Montez. Os dois processos estão em análise mas não devem obter o chumbo da entidade depois desta primeira decisão.


Em Junho, em entrevista ao Negócios em antevisão à décima primeira edição do Nos Alive, Álvaro Covões confirmava que estava apenas "aguardar" pela decisão da ERC neste processo das rádios.


Em Maio, quando entrou na ERC o processo para a alteração na Luso Canal, a entidade autorizou também Luís Montez a adquirir a empresa dona da Rádio Azul. O organizador do festival Super Bock Super Rock, que está a decorrer em Lisboa, explicava na altura que um dos objectivos passava por "manter a programação local" da rádio de Setúbal.


Outra das metas era expandir a sua presença na margem sul do Tejo através da Rádio Marginal.

(Notícia actualizada às 16:25 com mais informação)




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Será que foi contabilizado no BES MAU ? Há 5 dias

Será que seremos nós, contribuintes, que pagar este empréstimo do BES ?

CONSÓRCIO DE LUÍS MONTEZ COMPRA PAVILHÃO ATLÂNTICO POR 21,2 MILHÕES DE EUROS
https://www.publico.pt/2012/07/26/politica/noticia/consorcio-de-luis-montez-compra-pavilhao-atlantico-por-212-milhoes-de-euros-1556482

pub
pub
pub
pub