Transportes CP aumenta em 3% os passageiros transportados em 2016 para 115 milhões

CP aumenta em 3% os passageiros transportados em 2016 para 115 milhões

A CP - Comboios de Portugal aumentou em 3% os passageiros transportados em 2016, para 115 milhões, o que representa mais três milhões do que em 2015, com o crescimento mais significativo a acontecer no serviço Intercidades.
CP aumenta em 3% os passageiros transportados em 2016 para 115 milhões
Lusa 12 de Janeiro de 2017 às 11:41
Este aumento do tráfego levou a uma subida de 5% das receitas em 2016, tendo o total de proveitos de tráfego ultrapassado os 230,5 milhões de euros (mais dez milhões de euros do que em 2015), informou esta quinta-feira, 11 de Janeiro, em comunicado a empresa pública.

O serviço Intercidades foi o que ganhou mais clientes no ano passado, com um acréscimo de 11%, para 3,7 milhões de passageiros. Ainda no longo curso, o serviço Alfa Pendular transportou mais de dois milhões de passageiros, um crescimento de 8% face a 2015.

Os comboios Urbanos de Lisboa transportaram 77,4 milhões de passageiros, um acréscimo de 2%, e os Urbanos do Porto 20,8 milhões, o que representa um aumento de 4% face ao período homólogo.

Os serviços Regional e Internacional também reforçaram, com aumentos de 0,5% e 3%, para 10,6 milhões e 234 mil passageiros, respectivamente.

O presidente da CP, Manuel Queiró, considerou que "estes resultados [...] vêm premiar a aposta da empresa no reforço da oferta e na dinâmica comercial com que [...] aborda hoje o mercado".

O gestor destacou, em comunicado, "a incontornável contribuição da empresa de manutenção do grupo CP, a EMEF, sobretudo no actual momento de necessidades acrescidas de manutenção dos comboios".

Actualmente, a EMEF tem em mãos a remodelação total de dez comboios da frota da CP, num investimento previsto de 18 milhões de euros.

Manuel Queiró defendeu que este crescimento da procura, pelo quarto consecutivo, obriga a olhar "seriamente para a necessidade de investir no aumento do número de comboios, apostando, em simultâneo, numa melhoria do conforto, da pontualidade e na redução dos tempos de viagem".

Em 2017, a CP está atenta a todas as oportunidades de crescimento do tráfego, referindo os festivais de verão, a visita do papa Francisco, o turismo ou a mobilidade quotidiana de quem utiliza o comboio.



A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 6 dias


CARRIS, METRO E CP

Só quem não anda de transportes públicos, é que pode estar contra a privatização.

O serviço da Carris, Metro e CP é tão mau que os passageiros anseiam por uma mudança para melhor.

comentários mais recentes
Anónimo Há 6 dias


PS - e seus apoiantes - ROUBA OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO

Como sempre, vem aí mais dinheiro e regalias para os ladrões FP/CGA… e mais impostos para os privados.

Quando é que o TC vê isto?


Anónimo Há 6 dias


CARRIS, METRO E CP

Só quem não anda de transportes públicos, é que pode estar contra a privatização.

O serviço da Carris, Metro e CP é tão mau que os passageiros anseiam por uma mudança para melhor.

pub
pub
pub
pub