Banca & Finanças Crédit Agricole admite analisar compra do Commerzbank

Crédit Agricole admite analisar compra do Commerzbank

Aos cenários potenciais de compra pelo Unicredit, do BNP Paribas ou mesmo do Santander, junta-se agora mais um banco francês. Apesar de concentrado no crescimento orgânico, o Crédit Agricole não descarta olhar para o Commerzbank.
Crédit Agricole admite analisar compra do Commerzbank
Reuters
Paulo Zacarias Gomes 08 de outubro de 2017 às 22:26
Os franceses do Crédit Agricole manifestaram interesse em analisar a possibilidade de comprar a posição detida pelo Estado alemão no Commerzbank, caso esta venha a ser posta à venda.

"Nós, enquanto um dos mais importantes bancos na Zona Euro, certamente teremos de analisar," afirmou em entrevista ao jornal alemão Handelsblatt o CEO do Crédit Agricole, Philippe Brassac, citado pela Bloomberg.

O facto de o Crédit Agricole estar focado no crescimento orgânico "não significa que não olhemos para oportunidades interessantes," acrescentou o responsável, que admitiu que seria bom para o banco acrescentar mais oferta de retalho à que detém no mercado alemão. 

Além dos franceses, outras instituições já manifestaram interesse na aquisição como os italianos do UniCredit e os também franceses do BNP Paribas SA.

Segundo a Bloomberg, no mês passado o Crédit Agricole comprou três pequenos bancos em Itália por um total de 130 milhões de euros.

O Estado alemão detém 15% do Commerzbank, onde entrou durante a crise económica e financeira na Zona Euro. Quando chegou ao capital do banco, o Estado alemão injectou 5,1 mil milhões de euros. A participação está actualmente avaliada em 2 mil milhões.

Em Setembro o Financial Times deu ainda conta do interesse potencial de mais dois bancos: uma instituição norte-americana ou o espanhol Santander, um banco "grande, bem capitalizado, eficiente e com um bom histórico de aquisições e inovações" que ponderou entrar no mercado alemão em 2018.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
Saber mais e Alertas
pub