Banca & Finanças Crédito para filho de José Guilherme aplicar no Montepio foi irregular
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

Crédito para filho de José Guilherme aplicar no Montepio foi irregular

Em Dezembro de 2013, a Caixa Económica Montepio deu crédito de 18 milhões ao filho de José Guilherme, que o empresário investiu na instituição. Banco de Portugal diz que o financiamento violou regras sobre partes relacionadas e conflitos de interesse.
Crédito para filho de José Guilherme aplicar no Montepio foi irregular
Maria João Gago 20 de março de 2017 às 00:01

O Banco de Portugal concluiu que foram cometidas irregularidades no crédito que a Caixa Económica Montepio Geral (CEMG) concedeu a Paulo Guilherme em Dezembro de 2013 e que o filho do construtor José Guilherme usou para adquirir unidades

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais



A sua opinião9
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 4 dias

2013 e só agora o BdP é que sabe?!
O BdP mais parece a maior máquina de lavagem...
Contribuintes preparem-se mais uma vez.

comentários mais recentes
Pedro Há 3 dias

Será que as pessoas não se apercebem o que estão a fazer a este homem é tentar derrubar o montepio para interesse de outros pois querem acabar com o montepio para beneficiarem outros bancos
Abram os olhos associados como eu já abri.

Anónimo Há 4 dias

É simples, basta saber quem aprovou este crédito e pelo valor outorgado de certeza que não foi um técnico de crédito que aprovou, foi alguém muito alto, será que o filho foi generoso como o pai com o Salgadinho? só estou a perguntar.

Anónimo Há 4 dias

Este tipo não tem um pingo de vergonha na cara!

Agarra-se ao tacho como um desesperado. Quer lá saber da Associação Mutualista, do prejuízo de imagem e mesmo financeiro que esta sofre pelan sua peermanência no cargo?

Quer é continuar a encher o bandulho. E sobretudo continuar em posição de poder esconder muita coisa!

E neste nojo de país ninguém obriga esta alimária a demitir-se?

Cá por mim o Zé contribuinte ainda vai ser novamente tosquiado pelas brutais imparidades/créditos incobráveis que constam no balanço do Montepio, de que ele foi presidente durante muitos e muitos anos.

O José Guilherme dá BONS PRESENTES Há 4 dias

O José Guilherme não é aquele que deu "um presentinho" de 14 milhões ao Salgado do BES ? não admira que todos queiram ser "amigos" do José Guilherme, com "presentinhos " destes . . . Ser amigo do filho já é qualquer coisa

ver mais comentários
Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub
pub
pub
pub