Telecomunicações Credores da Oi têm mais 15 dias para assinarem acordo

Credores da Oi têm mais 15 dias para assinarem acordo

A Oi informou que dos 7.600 obrigacionistas da antiga PT que aderiram ao acordo para credores, 4.500 já têm o processo concluído. Os restantes podem agendar nova assinatura de 16 a 30 de Novembro.
Credores da Oi têm mais 15 dias para assinarem acordo
Reuters
Sara Ribeiro 15 de novembro de 2017 às 10:59

A justiça brasileira decidiu alargar o prazo para os obrigacionistas da Oi fecharem o acordo para credores. Em causa está o novo adiamento da assembleia geral para dia 7 de Dezembro.

 

Segundo fonte oficial da Oi a plataforma vai estar novamente aberta, para quem já efectuou o registo, a partir de dia 16 de Novembro até dia 30 do mesmo mês.

 

A operadora informou ainda que "dos 7.600 obrigacionistas portugueses cadastrados, ficaram fechados 4.500 até 6 de Novembro". Um número bastante superior ao apontado na terça-feira pela Candeias & Associados. Segundo esta sociedade de advogados, "2.000 portugueses conseguiram concluir com sucesso o procedimento de adesão".

 

Os obrigacionistas que não conseguiram inscrever-se na plataforma anteriormente não estão incluídos nesta extensão do prazo dado pela Oi. A associação que representa os lesados da PT/Oi (Alope), já pediu ao administrador judicial da Oi para prolongar o prazo, de modo a que mais obrigacionistas consigam integrar este acordo, como tinha contado ao Negócios o presidente da associação Francisco Mateus. Até ao momento, ainda não obteve resposta.

Este programa dirige-se a pequenos credores com dívidas até 50 mil reais (13.000 euros). Ao abrigo deste programa, os pequenos credores recebem imediatamente 90% da dívida, com o restante montante a ser pago até 10 dias úteis após a homologação do plano de recuperação da operadora

 

Desde o dia 1 de Novembro que alguns lesados da PT/Oi começaram a receber nas suas contas bancárias 90% do total do valor que tinham em obrigações da PTIF, como o Negócios noticiou.




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 2 dias

Não conseguem se muitos votos pagando 50 milhões de dívida quando a divida total ascende a €10 mil milhões, sem contar as dívidas aos reguladores etc. O Palha da Silva juntou se ao Tanure. Jogou o tudo ou nada. Se for nada deveria ser pendurado pelas cuecas.

Anónimo Há 2 dias

O problema aqui não é a parcela da dívida, são os votos para a AG de credores de 7 de Dez. E a Oi durante mais 15 dias quer comprar mais votos. Se não forem suficientes para assegurar o Pano de Recuperação Judicial, adia-se novamente a data da AG para Fev. de 2018 que será a última chance.

Anónimo Há 2 dias

Oh Sara, tens noção que andas a brincar com trocos? Quando foi a última vez que viste os números de dívida da Oi? Andas a apanhar bolas menina. Todos estes acordos que andas a destacar representam 0,5% da divida total da Oi. Vê lá se acordas menina.

pub