Telecomunicações Credores querem suspender voto de membros da administração da OI indicados pela Pharol

Credores querem suspender voto de membros da administração da OI indicados pela Pharol

Os grandes credores da Oi pediram à Justiça brasileira que suspenda o direito de voto dos administradores indicados pela Pharol e pelo fundo Société Mondiale em qualquer assunto que diga respeito ao plano de recuperação judicial da operadora.
Credores querem suspender voto de membros da administração da OI indicados pela Pharol
Reuters
Lusa 08 de novembro de 2017 às 20:03

A solicitação foi feita por grupos de obrigacionistas representados pelo banco Moelis & Company e pela consultora G5/ Evercore numa petição assinada terça-feira à noite, na 7ª Vara Empresarial do Rio de Janeiro, onde tramita o processo de recuperação judicial da Oi.

 

No documento, os credores afirmam que as medidas aprovadas na última sexta-feira pelo conselho de administração da Oi - que deu posse a dois novos administradores - são a "cereja no bolo" de um suposto "conflito de interesses e de abuso de direito com que vêm agindo os accionistas minoritários (Pharol e Societé Mondiale)".

 

"A influência indevida de accionistas minoritários controladores e de alguns integrantes do conselho de administração tem gerado instabilidade e insegurança jurídica, comprometendo o resultado útil desta recuperação judicial", alegaram os advogados dos credores na petição.

 

Além da suspensão do direito de voto no conselho de administração da empresa, os credores também solicitaram a suspensão da posse de dois novos directores estatutários eleitos para a directoria estatutária da Oi na semana passada.

 

A Bratel, subsidiária da portuguesa Pharol, é accionista minoritária de referência com 22% das acções da Oi.

 

A operadora de telecomunicações brasileira entrou com um pedido de recuperação judicial em Junho do ano passado por não conseguir negociar as dívidas, que na época somavam 65 mil milhões de reais (17,3 mil milhões de euros).




pub