Impostos Cristiano Ronaldo: “Nunca ocultei nada, nem tive intenção de fugir aos impostos”

Cristiano Ronaldo: “Nunca ocultei nada, nem tive intenção de fugir aos impostos”

O internacional português garante em comunicado que nunca ocultou nem teve a intenção de fugir aos impostos. “Faço sempre as minhas declarações de impostos de maneira voluntária porque penso que todos temos de declarar e pagar impostos de acordo com os nossos rendimentos”.
Cristiano Ronaldo: “Nunca ocultei nada, nem tive intenção de fugir aos impostos”
Reuters

Cristiano Ronaldo garante que não teve qualquer intenção de fugir aos impostos. Em comunicado citado pelo diário espanhol El País, o internacional português assegura: "nunca ocultei nada, nem tive intenção de fugir aos impostos".

"Faço sempre as minhas declarações de impostos de maneira voluntária porque penso que todos temos de declarar e pagar impostos de acordo com os nossos rendimentos", acrescenta.

O jogador do Real Madrid disse ainda que: "quem me conhece sabe que peço aos meus assessores: que tenham tudo em dia e pago correctamente porque não quero problemas".

A audição, à porta fechada, decorreu pelas 10:30 (hora de Lisboa) desta segunda-feira, 31 de Julho, não tendo o jogador prestado declarações à imprensa após a audição. Cristiano Ronaldo é suspeito de ter deixado por pagar impostos referentes a ganhos com direitos de imagem nos anos de 2011 a 2014 num valor de 14,7 milhões de euros. No conjunto, quatro crimes de fraude fiscal, que poderão levar o Ministério Público espanhol a pedir para o futebolista uma pena de sete anos de cadeia.


O jogador terá, de forma "voluntária e consciente", criado uma sociedade para defraudar o fisco espanhol, algo que foi já negado pela Gestifute, segundo a qual não existiu "qualquer tipo de esquema fiscal montado", tendo Cristiano Ronaldo apenas mantido os rendimentos através da sociedade Tollin, detida a 100% pelo próprio e criada quando jogava no Manchester United, em 2004.

"Quando Cristiano Ronaldo assina pelo Real Madrid [em 2009], não se criou uma estrutura especial, tendo-se mantido a mesma que detinha em Inglaterra, onde nunca teve problema algum. Contrariamente ao que insinua o Ministério Público espanhol, foram feitas modificações contratuais para assegurar que os rendimentos fossem tributados em Espanha", afirmou a empresa no início de Junho num comunicado citado pela Lusa.




pub