Bolsa CTT afundam após novas exigências da Anacom

CTT afundam após novas exigências da Anacom

As acções dos CTT estão a registar uma forte queda, depois do regulador ter estipulado metas mais exigentes. O BPI não fez alterações na sua avaliação, mas admite que as novas medidas poderão ditar um corte de avaliação de 0,35 euros por acção.
CTT afundam após novas exigências da Anacom
Miguel Baltazar
Sara Antunes 12 de janeiro de 2018 às 10:36

O regulador das comunicações determinou os objectivos que os CTT têm de atingir na entrega de correio a partir de 1 de Julho e que vigorarão até 2020. Se tivesse por base o serviço de 2016, os CTT falhariam em muitas dessas metas. Trata-se de um projecto de decisão, através do qual a Anacom aperta os critérios de qualidade de serviço que os CTT têm de cumprir, passando a ser 24 os indicadores estabelecidos, em vez dos actuais 11.

 

As acções estão a reagir em forte queda, recuando 6,96% para 3,582 euros, tendo já perdido um máximo de 7,01% esta manhã. E com um volume muito acentuado. Ainda não eram 10:25 e já tinham trocado de mãos mais de 1,6 milhões de títulos dos CTT, o que compara com uma média diária inferior a 1,2 milhões registada nos últimos seis meses.  

 

BPI admite um corte de avaliação

O BPI decidiu manter a avaliação dos CTT, depois de conhecidos os novos critérios de qualidade de serviço exigidos pelo regulador, a Anacom, aos correios. Mas deixa alguns alertas, admitindo que o impacto possa ser elevado.

 

"A partilha de poupanças de custos e a eliminação das margens de reserva de serviços parecem ser medidas duras", mas, admitem os analistas, estas estão em linha com o que é praticado noutros negócios regulados.

 

O BPI, tendo por base as suas previsões de redução de custos, estima que "a partilha diminui a avaliação em cerca de 0,35 euros por acção".

 

Actualmente o BPI tem uma avaliação de 4,70 euros para os CTT, o que confere às acções um potencial de subida superior a 30% face à actual cotação (3,582 euros). Um corte de 0,35 euros coloca a avaliação deste banco de investimento nos 4,35 euros, ou seja, 21% acima do preço actual das acções.

 

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro. 




A sua opinião9
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Fidalgo Há 5 dias

quem apostou na queda ganhou tanto, tanto dinheirinho. Mais de 8% Agora é meio ano para chegar onde estava, acreditam os otimistas. os CTT valem 2 euros, não mais.

CTT, o que desce sobe Há 5 dias

Para quem está dentro como eu, calma . o mundo não acaba aqui, isto é a bolsa a funcionar , os fundos fugiram em debandada ,mas vem outros, a semana passada houve um reforço de 2 milhões do maior acionista . isto é só uns dias, a CAIXA BI, já se pronunciou, há apenas uma desvalorização de 0.38%,

Anónimo Há 5 dias

No início da semana sai a notícia dos tubarões que reforçaram nos CTT... típico!!!

CTT para a semana chega aos 4.00 euros Há 5 dias

A partir das 15.00 horas ´´e subida em flecha

ver mais comentários
Saber mais e Alertas
pub