Banca & Finanças CTT estreia-se no crédito à habitação com spread de 1,75% para todos os clientes   

CTT estreia-se no crédito à habitação com spread de 1,75% para todos os clientes   

O banco CTT lança a partir de hoje a sua campanha de crédito à habitação, oferecendo um spread de 1,75% para todos os clientes. Aposta passa por concorrer com os outros bancos ao nível do custo global, onde pretendem ter a oferta mais atractiva do mercado.
CTT estreia-se no crédito à habitação com spread de 1,75% para todos os clientes   
Patrícia Abreu 26 de janeiro de 2017 às 16:08

Simplicidade e custos baixos para todos. É está a mensagem do Banco CTT na oferta de crédito para comprar casa. Com um spread único de 1,75%, a instituição promete garantir a oferta mais atractiva do mercado para 80% dos clientes ao nível da taxa anual efectiva revista (TAER), a taxa que inclui o custo com outros produtos associados ao crédito.

 

Para ter acesso ao crédito, o banco exige apenas a domiciliação do ordenado, a contratação do seguro de vida e seguro de casa. Tal como a maioria dos bancos no mercado, o Banco CTT financia até 80% do valor da aquisição, concedendo um prazo máximo de empréstimo de 40 anos, indexado à Euribor a 12 meses.

Na apresentação a jornalistas, que decorreu esta quinta-feira, 26 de Janeiro, em Lisboa, o líder do Banco CTT, Luís Pereira Coutinho, garantiu que a oferta para o crédito à habitação estará disponível a partir de hoje nos canais online, prevendo que esteja "em toda a rede do banco até ao final de Fevereiro".

João Mello Franco, da Comissão Executiva do Banco CTT, explicou que a principal aposta é a simplicidade, ao nível do preçário, das condições de acesso e da contratação do empréstimo. Daí a decisão de um "spread único, baixo e igual para todos", de 1,75%.

Ainda que haja bancos nacionais com "spreads" mínimos mais baixos no mercado – o Bankinter tem a oferta mais baixa com uma taxa mínima de 1,25% - o responsável dos CTT alerta que o custo global praticado pelos bancos é superior à TAER oferecida pelos CTT, além de grande parte dos clientes não ter acesso ao custo mais baixo.

De acordo com uma simulação disponibilizada pelo Banco CTT, um crédito à habitação na instituição para um casal com 38 anos, com um empréstimo de 150 mil euros, uma LTV de 60% e um prazo de 30 anos, teria uma TAER de 2,663%. Esta taxa compara com um custo global médio de 3,218% no mercado, segundo os cálculos da instituição.

A oferta concentra-se, para já, nos novos créditos. A transferência de empréstimos de outras instituições ainda não está disponível.




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 28.01.2017

Quem nao faz nada ou nao sabe,nao quer saber, tudo que os rodeia esta tudo mal..politica do vota abaixo....tipico do portugues.

Anónimo 26.01.2017

Chico Lacerda não queria ser carteiro queria ser banqueiro e os amigos da politica, que de manhã dizem que tem de haver concentração bancária, à tarde, decidiram autorizar nova banqueta, onde o Estado passa certificados de aforro e vales de reforma. Há que chegar à fonte para comissões.

Anónimo 26.01.2017

Os CTT Açores não tem dinheiro pagar reformas idosos como vão emprestar dinheiro com buraco de mil milhões e lojas geridas por pessoas nem quarta classe tem, com CDP geridos por carteiros vergonhoso

Anónimo 26.01.2017

Quem vai a um balcão CTT pedir credito habitação, com uma fila cheia de idosos para trocar reforma, leva uma Hora ser atendido, como acontece loja rabo peixe, que ate ha assaltos durante dia?

pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub