Empresas CTT perdem exclusividade na venda de produtos de poupança do Estado  

CTT perdem exclusividade na venda de produtos de poupança do Estado  

Os produtos financeiros como certificados de aforro e certificados do Tesouro vão passar a estar à venda em várias lojas do Cidadão.  
CTT perdem exclusividade na venda de produtos de poupança do Estado  
Negócios 31 de outubro de 2017 às 07:58

OS CTT já não têm a exclusividade na venda ao balcão dos produtos de poupança do Estado. De acordo com o Público, os certificados de aforro e os certificados do tesouro passaram a estar disponíveis em lojas do cidadão.

 

Para já são dez os locais onde é possível subscrever estes produtos: Lisboa (Loja do Cidadão das Laranjeiras), Aveiro, Coimbra, Porto, Penafiel, Faro, Viseu, Braga, Setúbal e Vila Nova de Gaia. Contudo, o objectivo passa por alargar este serviço a 31 locais até ao final do ano.

 

Citando informações da Agência para a Modernização Administrativa (AMA), o Público adianta que esta medida resulta de uma parceira com o IGCP, que visa o "alargamento dos canais de distribuição, ganhando a rede de espaços da AMA uma maior oferta ao nível dos serviços prestados".

 

Os certificados já podem ser subscritos na Internet, no site do IGCP, sendo que a nova série E, anunciada esta segunda-feira, deixa de ter a "forma de valores escriturais nominativos, o que torna desnecessária a emissão de títulos físicos".

 

A venda de produtos financeiros do Estado tem um peso significativo nas contas dos CTT, sendo que no primeiro semestre representou 52% dos rendimentos operacionais de serviços financeiros, que totalizaram 32,8 milhões de euros, segundo os dados recolhidos pelo Público.




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
A esquerdalha é inimiga da poupança! Há 2 semanas

O Estado pela mão do PS quer vender toda a zurrapa para além dos CTT nas lojas do cidadão! Baixam o juro e depois querem-se financiar de borla! Por isso é q a taxa de poupança vai diminuindo e cada vez mais! O PS é inimigo dos aforristas e o Bloco de Esterco ainda mais! En rabai a Mortágua até chiar

ahah Há 2 semanas

Quem vai vender estes produtos na LCidadao? a Seg Social? a Edp? a Galp, a CGD? quem? e nao tem custos para o estado? mais funcionarios publicos? comissoes a privados tal como no CTT? E as bichas enormes que existem nas LC? nao é mais facil ir aos CTT que tem uma estrututura montada no país?

FVV Há 2 semanas

Claro que sim!
Mas então, desde quando o Privado, gere a coisa Pública?
Toda esta promiscuidade se começou a criar, com a chegada ao PODER há cerca de 42 anos, daquela trilogia de siglas: CDS/PS/PPD.
Foram estes BANDOS de ESCARAVELHOS que destruiram o país.

CTT, que se cuide Há 2 semanas

Boa ideia , os CTT não são do Estado,

pub