Transportes CTT preparam despedimento colectivo na Transporta

CTT preparam despedimento colectivo na Transporta

A Transporta, empresa comprada recentemente pelos CTT , tem em curso um processo de despedimento colectivo de pelo menos 40 pessoas. As rescisões inserem-se “no processo gradual de integração no universo CTT”.
CTT preparam despedimento colectivo na Transporta
Sara Ribeiro 15 de junho de 2017 às 10:12

Os CTT estão a preparar um processo de despedimento colectivo na Transporta, empresa de distribuição de mercadorias que comprou recentemente.

De acordo com alguns trabalhadores da empresa, na quarta-feira, 14 de Junho, várias pessoas das delegações da Maia e de Lisboa começaram a ser chamadas por advogados dos Correios para serem informados da decisão.

"Já vai em mais de 40 pessoas", disse ao Negócios Margarida Silva, que trabalha na delegação de Coimbra há 30 anos. Apesar de neste momento "estar de baixa por acidente de trabalho, também consto na tal lista", lamentou.

Contactada pelo Negócios, fonte oficial da empresa liderada por Francisco de Lacerda confirmou a reestruturação em curso, escusando-se a confirmar o número de rescisões.

"A empresa Transporta está neste momento num processo gradual de integração no universo CTT que passa também pela optimização dos seus recursos humanos, como já estava planeado, através de um processo de gestão que visa a sustentabilidade da empresa e a eficiência produtiva e operacional", explicou fonte oficial dos CTT.

Os Correios concluíram no início de Maio a aquisição da totalidade do capital social da Transporta, que terá cerca de 250 trabalhadores segundo o site da empresa.

A operação, que implicou um investimento de 1,5 milhões de euros, "enquadra-se na estratégia de expansão e diversificação dos CTT, quer através de uma nova oferta de distribuição de objectos acima dos 30 kg, quer através da criação de uma nova plataforma de expansão da empresa na cadeia de valor da logística e carga last-mile", como explicou o presidente dos CTT, num comunicado enviado às redacções na altura.

A compra da Transporta, empresa que opera no transporte rodoviário de mercadorias, incluindo actividade logística, armazenamento e transporte ocasional de mercadorias, tinha sido anunciada pelos Correios no final do ano passado.




pub