Telecomunicações CTT prevêem pouco impacto com a greve

CTT prevêem pouco impacto com a greve

Os CTT prevêem pouco impacto da greve de 21 e 22 de Dezembro. E garantem ter um plano de contingência, reforçando as entregas a 23 e 26 de Dezembro.
CTT prevêem pouco impacto com a greve
Bloomberg
Alexandra Machado 20 de dezembro de 2017 às 13:23

Os CTT prevêem que a greve dos seus trabalhadores, marcada para 21 e 22 de Dezembro (quinta e sexta), tenha poucos efeitos. Segundo um comunicado, a empresa diz prever que, "de um modo geral no país, os efeitos da greve sejam pouco sentidos, com a ocorrência de constrangimentos localizados em áreas específicas".

O pré-aviso de greve abrange a rede de distribuição (carteiros) e de atendimento nas lojas CTT, mas não inclui, segundo a empresa, os postos de correios que são explorados por terceiros  - que são, aliás, a maioria dos pontos de acesso. Os CTT dizem ainda que a greve não abrange os agentes que prestam serviços de pagamento PayShop.

Quanto à rede de lojas, num total de 600, o impacto não deve ser significativo, segundo diz a empresa. Mas, "em caso de necessidade, os clientes poderão optar por um dos mais de 1.700 postos de correio não abrangidos pela greve".

Por outro lado, os CTT lembram que a greve não terá impacto no pagamento dos vales de pensões, "uma vez que estão já todos entregues".


Para acautelar perturbações nas áreas operacionais, os CTT dizem ter posto em funcionamento "um plano de contingência que inclui a realização de distribuições extraordinária em alguns locais do país nos próximos dias 23, sábado, e 26, dia feriado nos CTT nos termos do Acordo de Empresa assinado com os sindicatos".


A greve tinha já sido convocada antes da apresentação do plano de corte de custos dos CTT que integra a saída de mil trabalhadores. Ainda assim, servirá também para contestá-lo. Os sindicatos já fizeram saber à Lusa esperar uma forte adesão.






Saber mais e Alertas
pub