Imobiliário Custo de construção de casas novas mantém subida de 1,6% em Setembro

Custo de construção de casas novas mantém subida de 1,6% em Setembro

O perfil de subida dos custos para construir casas novas manteve-se em Setembro face ao mês anterior. Já os preços de serviços e produtos para reparação e manutenção abrandaram no mês de Setembro.
Custo de construção de casas novas mantém subida de 1,6% em Setembro
Bruno Simão
Paulo Zacarias Gomes 08 de novembro de 2017 às 11:51
O custo de construir habitações novas em Portugal voltou a subir 1,6% em Setembro em termos homólogos, mantendo o mesmo ritmo de aumento verificado no mês anterior. 

Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), que esta quarta-feira 8 de Novembro deu a conhecer os dados (no âmbito do índice de custos de construção de habitação nova e do índice de preços de manutenção e reparação regular da habitação), os custos de mão-de-obra estiveram na origem de boa parte da subida, com um crescimento de 2,1% nesta componente. Já os preços com materiais mantiveram a subida de 0,8% que vinha de Agosto.

O índice ficou assim em 139,80 pontos.

No que diz respeito aos preços para manutenção e reparação de habitação, Setembro trouxe um abrandamento da evolução - num mês, os aumentos passaram de 2,5% para 1,2% -, fixando o índice nos 152,91 pontos, sendo a travagem visível tanto nos produtos como nos serviços.

Alentejo e Algarve foram, segundo o INE, as duas únicas regiões a registar descidas dos custos de manutenção e reparação de habitações, enquanto Lisboa verificou a maior subida - de 2,3%.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar