Aviação David Paes: "Governo tem de reconhecer que fez um 'trade-off' com os pilotos"

David Paes: "Governo tem de reconhecer que fez um 'trade-off' com os pilotos"

O líder do Sindicato dos Pilotos, em entrevista, diz que já há conversações com o Governo para encontrar uma solução para o compromisso assumido pelo Estado em 1999 e retira pressão aos actuais accionistas da TAP.
Rosário Lira Celso Filipe 15 de Outubro de 2016 às 21:00
O presidente do Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC), David Paes, diz que o Governo deve reconhecer o acordo de 1999, no qual foi prometido aos pilotos da TAP 20% do capital da companhia no âmbito de uma futura privatização.

David Paes, no espaço semanal Conversa Capital, uma parceria entre a Antena 1 e o Negócios, sustenta que é necessário que o Estado admita que existiu essa "trade-off" através do qual os pilotos abdicaram de aumentos salariais e adianta que o SPAC está disponível para negociar. "Hoje reconhecemos que a materialização de um acordo nos moldes em que ele estava definido na altura é muito difícil" disse o líder do SPAC, adiantando que tem havido conversações com o Governo no sentido de se alcançar um entendimento.

O presidente do SPAC não revela quais as contrapartidas exigidas pelos pilotos mas separa a resolução deste problema da realidade actual da TAP. O actual quadro accionista privado não tem nenhuma responsabilidade sobre isto", até porque "não foi alguém que de forma directa beneficiou com este acordo". 

David Paes afirma também que os pilotos querem ter um aumento real e não apenas "cosmético" e aborda a questão do construção de um novo aeroporto ou, em alternativa, da solução Portela + 1. "Neste momento é inquestionável que o aeroporto da Portela representa um constrangimento para o crescimento das companhias, nomeadamente da TAP".

Estes foram dois dos temas abordados durante a entrevista Conversa Capital, que pode ler na íntegra na edição impressa do Negócios de segunda-feira.



A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado saraiva14 Há 3 semanas

Coitadinhos dos pilotos! Queriam 20% da Companhia! E os restantes trabalhadores tinham quanto? Além de que, 20% de uma Companhia falida, valem um dinheirão!

comentários mais recentes
Caga corrnos Há 3 semanas

Este Anos os pedintes chegam mais cedo nos peditorios do Pai Natal. Sera que os Pilotos nao recebem salario? E porque carga de agua eu tenho de pagar as viaguens,e ainda os Luxos destes espertos?

Anónimo Há 3 semanas



PS - PCP - BE -- FP . CGA – 40 ANOS A ROUBAR OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO


Novas pensões mínimas serão sujeitas a prova de rendimento...

para se gastar mais dinheiros com os subsídios às pensões douradas da CGA.


(As pensões da CGA são subsidiadas em 500€, 1000€, 1500€ e mais, por mês.

Estas pensões sim, devem ser sujeitas a condição de recursos.

E não as mínimas.)

saraiva14 Há 3 semanas

Coitadinhos dos pilotos! Queriam 20% da Companhia! E os restantes trabalhadores tinham quanto? Além de que, 20% de uma Companhia falida, valem um dinheirão!

Miguel Santos Há 3 semanas

Assista o video e junte-se a nos. Ganhe dinheiro convidando amigos a juntar-se a nossa plataforma http://gengibre.eu/300eurospordia/ Nao precisa de investimento.

pub
pub
pub
pub