Turismo & Lazer Depois de ter abrandado em Agosto, Turismo voltou a acelerar em Setembro

Depois de ter abrandado em Agosto, Turismo voltou a acelerar em Setembro

A actividade turística acelerou em Setembro, isto depois de em Agosto ter desacelerado apesar dos recordes de turistas e receitas então alcançados. O turismo de não residentes apoiou aceleração da actividade no sector.
Depois de ter abrandado em Agosto, Turismo voltou a acelerar em Setembro
David Santiago 14 de novembro de 2017 às 11:57

Em Setembro Portugal acolheu 2,2 milhões de hóspedes, o que representa um aumento de 7,9% face a igual período do ano passado, evolução que corresponde a um acelerar da actividade turística depois de, em Agosto, o crescimento homólogo ter sido de 5%, evolução que representou um abrandamento relativamente à evolução homóloga obtida no mês anterior.

 

Quanto ao número de dormidas (6,3 milhões) verifica-se que em Setembro houve um aumento de 5,1% face ao período homólogo, isto depois de nesse mês ter sido registada uma evolução homóloga positiva de 3,7%.

 

Os dados divulgados esta terça-feira pelo Instituto Nacional de Estatísticas (INE) mostram que a actividade no sector do turismo acelerou depois do abrandamento registado em Agosto, mês em que apesar do desacelerar tinham sido alcançados recordes ao nível do número de hóspedes e receitas.

 

Os 2,2 milhões de hóspedes e 6,3 milhões de dormidas configuram crescimentos de 5% e 3,7%, respectivamente, comparativamente com os números obtidos em Agosto. Já no que diz respeito à evolução ao longo dos primeiros nove meses deste ano, verifica-se que em Setembro o número de hóspedes cresceu 8,6% e o de dormidas aumentou 7,2% comparativamente como período compreendido entre Janeiro e Setembro de 2016.

 

O INE explica que a evolução favorável da actividade turística se deveu sobretudo ao impacto de cidadãos não residentes, com destaque para o comportamento homólogo dos mercados norte-americano (+29,9%), polaco (+23,3%) e italiano (+23,4%).

 

Em Setembro os mercados externos aceleraram ao registarem um aumento de 6,5% face ao mesmo mês do ano passado (relativos a um total de 4,6 milhões de dormidas), evolução que compara com os crescimentos homólogos de 4,8% e 5,2% registados em Agosto e Setembro, respectivamente.

 

Com 1,6 milhões de dormidas em Setembro, o mercado interno apresentou um crescimento de 1,4% em relação ao mesmo mês de 2016, o que configurou uma ligeira desaceleração tendo em conta os aumentos homólogos obtidos em Agosto (1,7%) e em Julho (3,7%).

 

As variações positivas mais acentuadas ao nível das dormidas foram registadas na região Centro (+16,2%), nos Açores (+12,7%) e no Alentejo (+11,6%), sendo que a maior parte das dormidas se concentraram no Algarve e na região de Lisboa, respectivamente com pesos de 36,5% e 22,1%.

Em nota enviada às redacções, a secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, considera que os números agora conhecidos "demonstram que o trabalho feito por todos no terreno em alargar a actividade turística a todo o território está a dar frutos".

"Para que o crescimento do turismo seja sustentável é fundamental alargar a actividade durante todo o ano, estruturando oferta turística e criando atractividade, o que está a acontecer. Estamos a conseguir alargar a actividade ao longo do ano e do território", disse Ana Mendes Godinho.

(Notícia actualizada às 12:45 com declarações da secretária de Estado)




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
TURISMO E CONSTRUÇAO Há 3 dias

Quem for investidor na bolsa compre Mota Engil, grande potencial. Em 2014 passou dos 6.00 euros por açao. Ja vai em 3.26 euros ha um ano estavo a 2.00euros

Saber mais e Alertas
pub