Automóvel Depois de triplicar em Agosto, produção automóvel cresce 22% em Setembro

Depois de triplicar em Agosto, produção automóvel cresce 22% em Setembro

A produção automóvel em Portugal cresceu 21,7% em Setembro comparativamente com o período homólogo, um crescimento que se segue ao aumento homólogo superior a 200% registado em Agosto.
Depois de triplicar em Agosto, produção automóvel cresce 22% em Setembro
Negócios 11 de outubro de 2017 às 15:50

Mantém-se a tendência de crescimento da produção de veículos automóveis em Portugal. Os dados divulgados esta quarta-feira, 11 de Outubro, pela Associação Automóvel de Portugal (ACAP) mostram que, em Setembro, o número de automóveis produzidos em território nacional aumentou 21,7% face a igual período do ano passado, valor que compara com o crescimento homólogo de 211,1% registado em Agosto.

 

No total, em Setembro foram produzidos 15.015 veículos, sendo que a categoria que mais cresceu foi a relativa aos veículos pesados, cuja produção subiu 71% face ao período homólogo para um total de 638 unidades.

 

Já o número de veículos ligeiros, que tinha liderado o aumento da produção em Agosto, cresceu 25,8% para 10.488 veículos. Também os comerciais ligeiros tiveram uma subida de 7,3% para 3.889 veículos.

 

Relativamente à evolução da produção de automóveis entre Janeiro e Setembro deste ano, verifica-se que foram produzidas 117.329 unidades, o que configura um aumento de 7,2% comparativamente com os primeiros nove meses de 2016.

A ACAP realça a relevância da produção automóvel para o sector das exportações, destacando que 95,9% das unidades produzidas em Portugal "tiveram como destino o mercado externo".

 

Ainda de acordo com a ACAP, a Europa mantém como o principal mercado destinatário das exportações nacionais de automóveis, representando uma fatia de 84,5% do total das exportações. 





A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
Saber mais e Alertas
pub