Banca & Finanças Depósitos no Banco CTT totalizam 250 milhões de euros

Depósitos no Banco CTT totalizam 250 milhões de euros

Até ao final do ano de 2016 o Banco CTT contava com mais de 100 mil clientes. E desde que abriu portas, em Março, captou depósitos acima de 250 milhões. A oferta de crédito à habitação arranca este mês.
Depósitos no Banco CTT totalizam 250 milhões de euros
Sara Ribeiro 11 de janeiro de 2017 às 17:29

O Banco CTT captou mais de 100 mil clientes desde que abriu portas, a 18 de Março de 2016. Um número alcançado "através da abertura de mais de 74 mil contas de depósitos à ordem", de acordo com um comunicado emitido esta quarta-feira 11 de Janeiro pela instituição liderada por Luís Pereira Coutinho.

Em nove meses o banco dos Correios, que neste momento conta com 200 balcões em todo o país, captou depósitos acima de 250 milhões de euros.

No mesmo comunicado o banco destaca o alargamento das ofertas da instituição no último trimestre de 2016 com o lançamento da oferta de crédito pessoal em parceria com a Cetelem. Esta oferta, disponível tanto nas lojas como no site do banco, superou "a fasquia dos 2,5 milhões de euros por mês".

Além desta parceria, em Novembro o Banco CTT lançou ainda a oferta de um cartão de crédito associado ao banco que já conta com "mais de 10 mil cartões colocados".

O Banco CTT tem planos para continuar a alargar a oferta de produtos e serviços durante o ano de 2017, entre os quais o crédito à habitação que será lançado no mês de Janeiro, lê-se no mesmo comunicado.

Em Outubro do ano passado o administrador financeiro dos CTT, André Gorjão Costa, tinha anunciado me entrevista ao Negócios que o banco ia avançar com esta oferta no início de 2017. Como o gestor explicou na altura, a instituição optou por alterar a anterior data prevista, final de 2016, por considerar que não era o melhor "timing" de mercado.

"Já temos tudo preparado e podemos lançar quando quisermos. A única questão de lançar no final ou no início do ano é que o Natal não é uma boa altura para vender crédito. O Natal é para comprar prendas. Por isso, diria que neste momento o que está em causa na decisão de lançar antes ou depois é o "timing" de mercado", explicou o gestor.




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana

Pelos números anunciados, é mais uma cooperativa do que um banco!!!....

Anónimo Há 1 semana

Sra. Jornalista, quantas destas 100 mil contas são de trabalhadores dos CTT? E quanto dos depósitos é dinheiro dos CTT? Esclareça me sff.

Anónimo Há 1 semana

100 mil clientes em nove meses e 100 milhões de depositos. Soa a muito pouco para o fogo de artifício que lançaram. A jornalista devia falar com quem percebe para esclarecer nos como leitores.

Anónimo Há 1 semana

CAIXA BI dá uma desvalorização das ações de 20%, claro que tudo porque meteram-se na pior altura no Banco Ctt

pub
pub
pub
pub