Banca & Finanças Deutsche Bank paga 7,2 mil milhões dólares para fechar processos judiciais EUA

Deutsche Bank paga 7,2 mil milhões dólares para fechar processos judiciais EUA

As autoridades norte-americanas confirmaram na terça-feira que o grupo bancário alemão Deutsche Bank vai pagar 7,2 mil milhões de dólares (6,7 mil milhões de euros) para encerrar os processos judiciais derivados da venda de títulos hipotecários tóxicos.
Deutsche Bank paga 7,2 mil milhões dólares para fechar processos judiciais EUA
reuters
Negócios com Lusa 18 de janeiro de 2017 às 00:53

O maior banco da Europa vai pagar uma multa civil de 3,1 mil milhões de dólares e 4,1 mil milhões de dólares em compensações aos consumidores para encerrar um processo ligado aos créditos imobiliários de baixa qualidade.

 

O banco alemão, que já tinha adiantado esta quantia, ao divulgar a 23 de Dezembro passado a existência de um acordo de princípio, vai assim pagar uma multa total de 7,2 mil milhões de dólares.

 

"Esta solução torna o Deutsche Bank responsável pela sua conduta ilegal e pelas suas práticas de crédito irresponsáveis, que causaram danos sérios e prolongados", assinalou, em comunicado, a procuradora-geral dos EUA, Loretta Lynch, que recordou que o banco "contribuiu directamente para uma crise financeira internacional".

 

A entidade reconhece no acordo que apresentou de forma falsa aos investidores as características dos títulos, que vendeu entre 2006 e 2007, garantidos pelas hipotecas.

 

O compromisso entre o banco e as autoridades ocorre depois de em 2016 se saber que Washington reclamava o pagamento de uma indemnização de  14 mil milhões de dólares, devido às suas operações com as designadas hipotecas tóxicas (‘subprime’).

 

Depois de vários meses de negociações, o valor total da penalização de 7,2 mil milhões de dólares aplicada ao banco é, assim, praticamente metade do inicialmente apontado pelas autoridades dos Estados Unidos.

 

Quando o banco confirmou esta penalização, a 15 de Setembro, as acções do Deutsche Bank afundaram, com os investidores a recearem que a instituição tivesse de aumentar o seu capital para enfrentar os custos legais. Os títulos chegaram mesmo a atingir um novo mínimo histórico a 30 de Setembro, nos 9,898 euros.

 

Vários gigantes das finanças norte-americanas, como Goldman Sachs, Bank of America ou Citigroup pagaram nos últimos anos milhares de milhões de dólares para encerrar as investigações judiciais abertas contra elas. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub