Banca & Finanças Deutsche Bank: receitas da unidade de trading abaixo das estimativas dos analistas

Deutsche Bank: receitas da unidade de trading abaixo das estimativas dos analistas

As receitas da unidade de negociação de dívida do germânico Deutsche Bank cresceram 11% para 1,38 mil milhões de euros no quarto trimestre do ano passado face ao período homólogo. Os analistas estimavam receitas de 1,68 mil milhões.
Deutsche Bank: receitas da unidade de trading abaixo das estimativas dos analistas
reuters
Negócios 02 de fevereiro de 2017 às 08:01

As receitas da unidade de trading do Deutsche Bank ficaram aquém do esperado pelos analistas numa altura em que pairam no mercado receios sobre as finanças da instituição e o peso que isso pode ter para os clientes, avança a Bloomberg.

As receitas oriundas da unidade de negociação de dívida, a maior fonte de rendimento da instituição, aumentaram 11% para 1,38 mil milhões de euros no quarto trimestre quando comparado com os últimos três meses de 2015. Os dez analistas consultados pela agência de informação financeira antecipavam que os lucros desta unidade ascendessem a 1,68 mil milhões de euros.


Por outro lado, as receitas obtidas com a negociação de acções caiu 23% para 428 milhões de euros, revelou o banco em comunicado esta quinta-feira, 2 de Fevereiro, citado pela Bloomberg.


O líder do banco alemão, John Cryan, está a trabalhar no sentido de diminuir a operação de negociação da instituição. O objectivo é aumentar os níveis de capital que foram reduzidos devido aos custo que o banco teve de enfrentar para suportar os casos de má conduta.


"Os nossos resultados para o ano de 2016 foram fortemente impactados pelas acções decisivas da gestão assumidas para melhorar e modernizar o banco, bem como, pela turbulência do mercado no que diz respeito ao Deutsche Bank", afirmou Cryan em comunicado citado pela agência. "Provámos a nossa resiliência num ano particularmente difícil. Terminámos 2016 com rácios de capital e de liquidez agradavelmente fortes e estamos optimistas depois de um início de ano promissor".


A Reuters escreve ainda que o banco alemão teve um prejuízo de 1,9 mil milhões de euros nos últimos três meses de 2016, fruto dos custos com questões judiciais. Este valor também ficou acima do esperado pelos analistas consultados por esta agência, que antecipavam perdas líquidas de 1,16 mil milhões de euros.


O Deutsche Bank aumentou ainda as suas reservas para litígios de 5,9 mil milhões para 7,6 mil milhões de euros no trimestre.

 




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Ivestidor Há 3 semanas

E em Portugal, qual foi o resultado do Deutsche Bank o ano passado?

pub