Banca & Finanças Deutsche Bank triplica lucros até Setembro

Deutsche Bank triplica lucros até Setembro

O Deutsche Bank fechou o terceiro trimestre com um lucro que é mais do triplo do registado no ano passado. O banco alemão superou todas as estimativas.
Deutsche Bank triplica lucros até Setembro
reuters
Sara Antunes 26 de outubro de 2017 às 07:53

O Deutsche Bank fechou os primeiros nove meses do ano com um resultado líquido de 1,7 mil milhões de euros, o que compara com os 534 milhões registados um ano antes, revela a instituição financeira em comunicado emitido esta quinta-feira, 26 de Outubro.

 

Isolando o terceiro trimestre, o banco alemão registou um lucro de 649 milhões de euros, mais do que duplicando os lucros obtidos um ano antes (281 milhões de euros), e superando amplamente as estimativas dos analistas consultados pela Bloomberg e pela Reuters que apontavam para um lucro de cerca de 280 milhões de euros.

 

Em termos de receitas, a instituição liderada por John Cryan reportou uma quebra de 10% no acumulado dos nove meses para um total de 22,9 mil milhões de euros. Já no terceiro trimestre teve uma descida de receitas para 6,8 mil milhões, o que ficou em linha com as estimativas dos analistas.

 

A queda das receitas está muito relacionada com a quebra na unidade de negociação (-30%), com o banco alemão a registar a maior queda entre os principais bancos e a superar as previsões dos analistas que apontam para uma descida das receitas de 24% neste segmento.

 

A contribuir para a melhoria dos resultados esteve o corte de custos, assume o banco. "Enquanto o ambiente de receitas permanece desafiador, fizemos progressos significativos por nossa iniciativa", sublinha no comunicado emitido o presidente executivo do banco.

 

A contribuir para a melhoria dos resultados esteve também a redução das provisões para cobrir o crédito malparado (-56% nos nove meses e menos 44% nos três meses terminados em Setembro).

 

O rácio de solvabilidade, CET1, melhorou face ao período homólogo de 11,1%, em Setembro de 2016, para 13,8% actualmente.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar