Telecomunicações Deutsche Post quer expandir-se em Portugal

Deutsche Post quer expandir-se em Portugal

No próximo ano, a empresa alemã dona da DHL pretende crescer em Portugal e Espanha, segundo declarou o presidente executivo da Deutsche Post. O resultado operacional superou o previsto pelos analistas.
Deutsche Post quer expandir-se em Portugal
Reuters
Diogo Cavaleiro 08 de Novembro de 2016 às 07:42

A Deutsche Post, empresa alemã de serviço postal e dona da companhia logística DHL, quer crescer em Portugal. Segundo informações transmitidas pela Bloomberg, o objectivo da firma germânica é expandir o negócio de encomendas em Portugal e Espanha no próximo ano.

 

A informação foi dada pelo presidente executivo, Frank Appel, em entrevista publicada no site da empresa. "Espanha e Portugal serão acrescentados [à rede] no próximo ano, afirmou, referindo-se ao segmento de encomendas na Europa. O CEO sublinha que as entregas online vão ganhar mais força nos próximos anos. 

O crescimento para Portugal e Espanha, revelado pela Bloomberg, é anunciado depois de, em Setembro, a Deutsche Post, que emprega 501 mil funcionários, ter comprado serviços ao grupo britânico UK Mail. Além disso, a empresa pretende continuar a fazer pequenas aquisições, também em declarações à agência de informação financeira. 


A revelação de Appel aconteceu no dia em que foram revelados os resultados do terceiro trimestre do ano, período em que o lucro operacional da companhia (EBIT) atingiu os 755 milhões de euros, que comparam com os 197 milhões do período homólogo e que superam os 746 milhões de euros antecipados pelos analistas compilados pela agência de informação.

A subida deveu-se, em parte, às perdas registadas um ano anos com um "software" que a empresa teve de retirar do mercado, que prejudicam a comparação. 

O resultado líquido (lucro) nos primeiros nove meses do ano ficou em 1.909 milhões de euros face aos 1.001 milhões registados no ano passado. 

 

O presidente executivo da companhia alemã mostrou-se satisfeito com os resultados. "Estamos no caminho para alcançar os ambiciosos objectivos que definimos para 2016 em diante", considera, na nota de imprensa divulgada esta terça-feira, 8 de Novembro. As metas para os próximos anos também se mantêm, incluindo o crescimento superior a 8% ao ano, até 2020, do EBIT.

 




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 4 semanas

Então o chefe dos boches não falou num segundo resgate de Portugal ?
Não percebo como querem o nosso dinheiro, ou será por isso que cá querem vir ?

pub