Banca & Finanças Deutsche Bank está a estudar cenários para reforçar capital

Deutsche Bank está a estudar cenários para reforçar capital

Apesar de prosseguirem as negociações com o Departamento de Justiça dos EUA, o banco alemão já está a estudar vários cenários para reforçar capital e enfrentar a penalização das autoridades norte-americanas.
Deutsche Bank está a estudar cenários para reforçar capital
reuters
Rita Faria 07 de Outubro de 2016 às 10:08

O Deutsche Bank ainda está em negociações com o Departamento de Justiça dos Estados Unidos para tentar chegar a um acordo sobre a coima a pagar pela venda irregular de instrumentos financeiros associados a hipotecas. Paralelamente, o banco está a estudar as várias opções que tem disponíveis para reforçar os seus capitais e garantir que consegue enfrentar esta penalização.

 

E há vários cenários em cima da mesa. Segundo avança a Bloomberg, o banco alemão está em conversações informais com bancos de investimento para explorar as alternativas, que incluem a realização de um aumento de capital, caso o valor final da coima o exija.

 

Os assessores das principais empresas de Wall Street estão em contacto com representantes do Deutsche Bank e a discutir ideias, entre as quais uma emissão de acções e a venda de activos.

 

O Financial Times avança que uma das opções que estão a ser estudadas pelo Deutsche Bank é a venda de uma participação minoritária na sua gestora de activos, que tem 719 mil milhões de euros de activos sob gestão.

 

"Eles têm de fazer alguma coisa com o negócio de gestão de activos e a venda de uma participação minoritária é o que faz mais sentido", afirma uma fonte próxima do banco, citada pelo Financial Times.

 

A estratégia que o Deutsche Bank irá adoptar dependerá, em grande medida, da dimensão da coima, que poderá variar entre 4 e 8 mil milhões de euros, de acordo com as estimativas da Bloomberg Intelligence. Inicialmente, foi fixada em 14 mil milhões de dólares pelas autoridades norte-americanas.

 

Apesar de ter negado qualquer envolvimento no processo, o Governo alemão estará em conversações com as autoridades dos Estados Unidos para ajudar o banco a alcançar um bom acordo. De acordo com informações avançadas pela Reuters esta quinta-feira, tem havido "contacto a todos os níveis" entre responsáveis alemães e norte-americanos. Uma notícia que o ministro germânico das Finanças, Wolfgang Schaeuble, se recusou a comentar.

 

Já a directora-geral do FMI, Christine Lagarde, afirmou ontem que, quanto mais cedo o banco chegar a um acordo com os Estados Unidos "melhor".

 

"Um mau acordo é sempre melhor do que um bom julgamento", disse Lagarde à Bloomberg TV.

As acções do Deutsche Bank estão a subir 2,20% para 12,30 euros, depois de terem perdido 0,29% na sessão de ontem. 




A sua opinião9
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Gatunos Há 4 semanas

Os grandes gatunos estão sempre a estudar "cenários" para reforçarem o seu capital.

comentários mais recentes
Ana Moura se Sá Há 4 semanas

A Alemanha vai passar muito mal.

Marco Pata Há 4 semanas

Vai ser o slam dumk aos alemães. Não tem qq hipótese de sobrevivência.

Mituxa Mizé Há 4 semanas

O princípio do fim da Alemanha e da Europa.

Maximino Há 4 semanas

Todos os que tem dinheiro no Deutsche Bank por todo o mundo, se forem racionais, devem tirar o dinheiro o mais rapidamente possível de lá.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub