Transportes Dezasseis voos cancelados devido à greve dos tripulantes da SATA

Dezasseis voos cancelados devido à greve dos tripulantes da SATA

Tripulantes de cabine da transportadora aérea SATA estão desde quinta-feira em greve, iniciativa convocada pelo Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil, um mês depois de uma outra paralisação.
Dezasseis voos cancelados devido à greve dos tripulantes da SATA
Lusa 02 de junho de 2017 às 11:20
O segundo dia da greve dos tripulantes de cabine da transportadora aérea SATA levou já hoje ao cancelamento de 12 voos entre as ilhas e quatro ligações com o exterior, disse à agência Lusa o porta-voz da empresa, António Portugal.

"Até a esta hora (09:33 locais, mais uma hora em Lisboa), foram cancelados quatro voos da Azores Airlines, que faz os voos de e para fora do arquipélago, e 12 voos da SATA Air Açores", que assegura os voos entre as nove ilhas, indicou António Portugal, referindo que "todos os voos que não são serviços minímos até agora foram cancelados".

O responsável, que remeteu para mais tarde dados sobre a adesão à greve, disse que estavam previstos realizar-se hoje na "SATA Air Açores 53 voos e na Azores Airlines 29".

"Dos 53 voos, 32 são de serviços mínimos e, dos 29, dois são de serviços mínimos", acrescentou o porta-voz da companhia aérea açoriana, indicando que hoje de manhã foi realizado o voo de serviços mínimos da SATA Air Açores Ponta Delgada/Terceira/Graciosa.

António Portugal adiantou ainda que a ligação Lisboa/Horta/Lisboa, de serviços mínimos da Azores Airlines, está a ser realizado, o mesmo sucedendo com a ligação Montreal/Ponta Delgada/Lisboa, que é realizada num aparelho alugado para assegurar durante o verão as ligações com aquele destino do Canadá.

Tripulantes de cabine da transportadora aérea SATA estão desde quinta-feira em greve, iniciativa convocada pelo Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil, um mês depois de uma outra paralisação.

O incumprimento de vários pontos do clausulado do acordo de empresa é uma das razões apontadas para a greve, assim como a reivindicação de melhores condições de trabalho.

Devido ao pré-aviso de greve, a SATA contactou cinco mil passageiros que tinham voos previstos para hoje, "para poderem alterar as suas reservas", informou António Portugal, assinalando que "85% optaram por alterar reservas, primeiro para os serviços mínimos e depois para outras datas", acrescentou.

O dirigente do Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil Bruno Fialho adiantou que a greve "continua a ter uma adesão de 90%", sublinhando que os trabalhadores vão "continuar firmes nas suas convicções".

"A razão está do nosso lado. E passado um mês da última greve a adesão a esta paralisação é demonstrativa de que os trabalhadores têm razão, pois é muito difícil fazer uma greve quando se é trabalhador", sustentou.

Bruno Fialho adiantou que o sindicato vai enviar um ofício à administração da SATA a informar que estão disponíveis para reunir e dialogar.

"Vamos enviar este ofício, algo que não era da nossa competência fazer", apontou.

Em maio, a greve deixou em terra mais de 1.300 passageiros, com o sindicato a afirmar que se registou uma adesão de 100%, número diferente do avançado na ocasião pelo grupo SATA (66,9%).



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
Saber mais e Alertas
pub