Tecnologias Director-geral da Microsoft Portugal ruma à Alemanha

Director-geral da Microsoft Portugal ruma à Alemanha

João Couto, director-geral da Microsoft Portugal deixou o cargo em território nacional e rumou à Alemanha, onde vai ocupar o cargo de Marketing and Operation Lead. Paula Panarra é a directora-geral interina.
Director-geral da Microsoft Portugal ruma à Alemanha
Bruno Simão

João Couto (na foto) deixou o cargo de director-geral da Microsoft Portugal. A notícia foi avançada esta segunda-feira pelo Tek Sapo e confirmada pela empresa ao Negócios. João Couto está na Alemanha, onde ocupa o cargo de Marketing and Operation Lead.

Tal como avançava o site especializado, Paula Panarra ocupa agora o cargo de directora-geral interina. "Confirmamos a saída do João Couto da liderança da Microsoft Portugal, e estamos muito confiantes na liderança da Paula Panarra, actualmente directora da área de sector público, que irá assegurar interinamente a função, até finalizarmos o processo de selecção do novo Director Geral", refere a nota da Microsoft Portugal enviada ao Negócios.

"Ao João Couto agradecemos os resultados alcançados nos três anos em que esteve à frente da subsidiária portuguesa e desejamos-lhe as maiores felicidades no seu novo desafio, como Marketing & Operations Lead da subsidiária alemã, um dos principais mercados da Microsoft na Europa", acrescenta a nota da empresa.


João Couto é licenciado em Engenharia Electrotécnica e de Computação pelo Instituto Superior Técnico, tendo também um MBA, da Universidade Católica, com especialização em Marketing. Antes de aceitar o desafio de liderar a subsidiária portuguesa da Microsoft (em 2013), esteve ligado ao mundo das telecomunicações. De 2008 a 2011 foi membro do conselho de administração e CFO da Vodafone Portugal. De 2011 a 2013 esteve a trabalhar em Londres, na mesma operadora.

Mas as ligações às telecomunicações não ficam por aqui. De 2009 a 2010 João Couto presidiu à APRITEL - a Associação Portuguesa de Operadores de Telecomunicações. Antes disso, esteve cerca de nove anos na A.T. Kearney como vice-presidente e "partner", já com especialização na área de telecomunicações, media e tecnologia.


Em entrevista ao Negócios em Outubro do ano passado, o responsável fez um balanço ao desafio de liderar a Microsoft Portugal. "O balanço e a oportunidade são fantásticos. Vim para cá numa altura menos óbvia do que seria hoje, no sentido em que Portugal estava a atravessar uma crise profunda, todas as pessoas a querer ir para fora de Portugal e eu regressei. E vim com um mandato claro que era colocar a Microsoft Portugal a crescer. A Microsoft cresceu em 2014, em 2015 e vai crescer em 2016", disse na altura.




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 2 semanas


Os ladrões de esquerda

PS - PCP - BE -- ROUBAM OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO


NOVAS PENSÕES MÍNIMAS SERÃO SUJEITAS A PROVA DE RENDIMENTO...

para se gastar mais dinheiro com os subsídios às pensões douradas da CGA.


(As pensões da CGA são subsidiadas em 500€, 1000€, 1500€ e mais, por mês.

Estas pensões sim, devem ser sujeitas a condição de recursos.

E não as mínimas.)

comentários mais recentes
Jermajesty Há 4 semanas

I guess finding useful, reliable infmtoarion on the internet isn't hopeless after all.

5640533 Há 2 semanas

A Microsoft Portugal é uma bagunça.

pertinaz Há 2 semanas

A MICROSOFT PORTUGAL É UMA VERDADEIRA TRITURADORA DE PESSOAS

QUE É FEITO DOS ANTERIORES QUE POR LÁ PASSARAM ???

ARRE!

Anónimo Há 2 semanas


Os ladrões de esquerda

PS - PCP - BE -- ROUBAM OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO


NOVAS PENSÕES MÍNIMAS SERÃO SUJEITAS A PROVA DE RENDIMENTO...

para se gastar mais dinheiro com os subsídios às pensões douradas da CGA.


(As pensões da CGA são subsidiadas em 500€, 1000€, 1500€ e mais, por mês.

Estas pensões sim, devem ser sujeitas a condição de recursos.

E não as mínimas.)

pub
pub
pub
pub