Indústria Dois responsáveis da Vista Alegre renunciam aos cargos

Dois responsáveis da Vista Alegre renunciam aos cargos

A empresa justifica as saídas com razões de ordem legal, nomeadamente o número de mandatos exercidos na empresa, que levam a que não possam ser considerados independentes.
Dois responsáveis da Vista Alegre renunciam aos cargos
Pedro Elias/Negócios
Paulo Zacarias Gomes 28 de Novembro de 2016 às 18:03

O presidente do conselho fiscal da Vista Alegre Atlantis (VAA) e um vogal do mesmo órgão renunciaram aos cargos na semana passada devido a "impedimentos de ordem legal para o exercício dos cargos".


A justificação é dada em comunicado enviado pela empresa à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).


João Carlos Monteiro de Macedo, presidente do conselho fiscal, e Pedro Miguel Alão Cabrita, vogal, renunciaram aos cargos em cartas enviadas a 25 de Novembro passado. Em causa está o número de mandatos exercidos na empresa, que levam a que não possam ser considerados independentes.


"Mais se informa que estas renúncias, tais como as outras que se verificaram recentemente a cargos no Conselho Fiscal, deveram-se, apenas, à existência de impedimentos de ordem legal para o exercício dos cargos," lê-se no comunicado.


A 17 de Outubro a companhia tinha comunicado ao mercado a renúncia, cinco dias antes, de Maria José Nogueira de Albuquerque Vaz Caldas a vogal do mesmo conselho fiscal, tendo sido acompanhada nessa saída pelo membro suplente eleito para esse órgão.


Dois meses antes, a 25 de Agosto, também a administração tinha sido sujeita a alterações. Depois da renúncia de Lázaro Ferreira de Sousa aos cargos de vice-presidente do conselho de administração e de CEO da VAA. Para o cargo no board da empresa foi nomeada Alda Alexandra Abrantes Costa e o então chairman, João Manuel Pisco de Castro, assumiu o cargo de presidente executivo até ao fim do actual mandato da administração. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub