Energia Dominion compra Scana por 7,9 mil milhões de dólares

Dominion compra Scana por 7,9 mil milhões de dólares

A fabricante de produtos energéticos Dominion pretende adquirir a Scana por 7,9 mil milhões de dólares. O negócios, que depende da aprovação dos accionistas e reguladores, deve estar concluído este ano.
Dominion compra Scana por 7,9 mil milhões de dólares
Bloomberg
Negócios 03 de janeiro de 2018 às 16:45

A fabricante de produtos energéticos Dominion Energy prepara-se para comprar a Scana, uma firma norte-americana envolvida nomeadamente em operações de fornecimento de energia e gás natural. A operação de compra cifra-se em 7,9 mil milhões de dólares (mais de 6,5 mil milhões de euros), segundo a Blomberg.

Os investidores da Scana – que fornece electricidade e gás natural em estados como a Carolina do Norte, Carolina do Sul e Georgia - vão receber 0,669 acções da Dominion por cada acção que detenham.

No final de Julho de 2017, a Scana interrompeu a expansão da sua central nuclear V.C. Summer. Em resultado desta decisão, a capitalização bolsista da firma afundou e tornou-a mais apetecível para o mercado, segundo a mesma fonte.

Shahriar Pourreza, analista da Guggenheim Securities LLC, disse à agência de informação, que esta operação "faz muito sentido". O analista refere que a Dominion está a construir um grande gasoduto que pretende chegar à fronteira da Carolina do Sul, sendo que, as autoridades vêm com bons olhos uma ampliação desse gasoduto.

O comunicado emitido pelas empresas esta quarta-feira, 3 de Janeiro, indica que a transacção está avaliada em cerca de 14,6 mil milhões de dólares, incluindo a assunção de dívida.

A compra da Scana depende da autorização dos reguladores e dos accionistas e deverá estar concluída ainda este ano de 2018.

 
As acções da Dominion Energy descem 3,53% para 77,45 dólares. A Scana dispara 23,01% para 47,815 dólares.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
Saber mais e Alertas
pub