Transportes Dona da ANA afunda mais de 18% após falso comunicado

Dona da ANA afunda mais de 18% após falso comunicado

As acções da Vinci chegaram a afundar mais de 18% depois de ter sido divulgado um comunicado onde a francesa dizia que ia rever as contas do ano passado e do início deste ano, devido a um erro de contabilidade. O comunicado era falso.
Dona da ANA afunda mais de 18% após falso comunicado
Cátia Barbosa/Negócios

Por volta das 15:00 foi enviado um email com um comunicado, alegadamente da Vinci, sobre a necessidade de republicar as contas de 2015 e do primeiro semestre de 2016, depois de uma dita auditoria interna ter chegado à conclusão que algumas transferências de custos para contas de capital não foram feitas de acordo com os princípios gerais da contabilidade. O comunicado chegou às redacções de todo o mundo, nomeadamente à do Negócios (ler email mais abaixo).

Em causa estariam transferências na ordem dos 1.965 milhões no caso do ano passado e de 1.065 milhões no primeiro semestre de 2016. Sem estas operações, a companhia teria apresentado resultados mais reduzidos, chegando mesmo a atingir prejuízos.


O comunicado foi difundido pela generalidade dos órgãos de comunicação internacionais. E, em consequência, as acções da dona da concessionária dos aeroportos portugueses afundaram mais de 18% para mínimos de Fevereiro de 2015. 

Entretanto, a Vinci emitiu um outro comunicado a negar esta informação. Diz que o anteriormente divulgado se tratou de um "falso comunicado".

"Um falso comunicado foi publicado hoje pela Bloomberg às 16:05. A Vinci nega formalmente todas as informações contidas nesse comunicado falso e está a investigar todas as acções legais" que serão possíveis de tomar.  


As acções acalmaram, seguindo a perder 3,63% para 58,88 euros. 

"A Vinci está a enfrentar um sério ataque de desinformação com propósitos deliberados. Um comunicado falso a apropriar-se da identidade do grupo Vinci e que se refere a um falso membro responsável pela comunicação do grupo está a minar" a confiança, afirmou fonte oficial da empresa ao Financial Times.

 

Uma das informações que constava no email falso era a consequente saída do administrador financeiro, o CFO, devido ao erro nas contas. Uma saída que também foi desmentida.


"Expressamos a nossa indignação em relação a tais práticas e informamos que o grupo e Christian Labeyrie [o CFO] vão apresentar queixa contra as pessoas responsáveis por estes actos", acrescenta a mesma fonte.

 


Acções afundam mais de 18% após o falso comunicado 

Comunicado falso enviado às redacções: (Inglês)

New VINCI press release
Rueil Malmaison, 22 November 2016

VINCI announces intention to restate 2015 and first semester 2016 financial statements

Vinci today announced it intends to restate its financial statements for 2015 and the first half of 2016. As a result of an internal audit of the company's capital expenditure accounting, it was determined that certain transfers from line cost expenses to capital accounts during this period were not made in accordance with generally accepted accounting principles. These transfers amounted to € 1.965 million for 2015 and € 1.065 million for first half of 2016. Without these transfers, the company's reported operating income would be reduced to € 1.225 million for 2016 and € 641 million for the first half of 2016. The company would have reported a net loss for 2015 and for the first half of 2016.

The company promptly notified KPMG Audit and Deloitte & Associés, who had audited the company's financial statements for 2015 and for the first half 2016, upon discovering these transfers. On November 21, KPMG advised Vinci that in light of the inappropriate transfers of line costs, KPMG's audit report on the company's financial statements for 2015 and KPMG's review of the company's financial statements for the first half of 2016 could not be relied upon.

The company will issue unaudited financial statements for 2015 and for the first half of 2016 as soon as practicable. When an audit is completed, the company will provide new audited financial statements for all required periods. Vinci will also be reviewing its financial guidance.

The company has terminated Christian Labeyrie as Executive Vice-President and Chief Financial Officer of Vinci.

Vinci has notified the French Financial Markets Authorities (Autorité des marchés financiers, AMF) of these events.

The expected restatement of operating results for 2015 and 2016 is not predicted to have an impact on the Company's cash position and will not affect Vinci's customers or services.

"Our senior management team is shocked by these discoveries," said Xavier Huillard, Vinci Chairman and CEO. "We are committed to operating Vinci in accordance with the highest ethical standards."

"I want to assure our costumers and employees that the Vinci group remains viable and committed to a long-term future. Our services are in no way affected by this matter, and our dedication to meeting costumers needs remains unwavering." added Huillard. "We are strongly committed to drive fundamental change at Vinci."

The company will conduct a press conference tomorrow.

PRESS CONTACT
Paul-Alexis Bouquet
Tel.: +33 (0)7 51 93 47 48
http://www.vinci.group/vinci.nsf/en/press-releases/pages/20161122-1557.htm






A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Gatunos Há 3 semanas

A Malta dos CEOs e companhia tratam a segurança informática como algo desnecessária , pois tem custos altos, depois quando a bomba arrebenta ficam loucos a apagar fogos antes que tudo desapareça e as suas cabeças rolem.

Ciber Há 3 semanas

A Cibersegurança é uma necessidade e não uma brincadeira. É bom que se vejam os resultados destes ataques quando se está a anunciar medidas SIMPLEX sem salvaguardar minimamente os aspetos de segurança.

AS "MARAVILHAS" DAS PRIVATIZAÇÕES Há 3 semanas

A ANA AEROPORTOS é um excelente exemplo para mostrar sobre as "maravilhas" das privatizações (que apenas visam o lucro pelo lucro) : depois de privatizada, pela política do pulha Passos, registou já 13 (TREZE) aumentos dos seus serviços, que, obviamente, são pagos pelos utentes (cada um de nós).

Jorge Silva Há 3 semanas

Saiu alguns "Euromilhoes" ao artista deste esquema... e não deve ser fácil identificar.

pub
pub
pub
pub