Comércio Dona da Durex quer comprar empresa de comida de bebé

Dona da Durex quer comprar empresa de comida de bebé

A Reckitt Benckiser poderá pagar 16,7 mil milhões de dólares para comprar a Mead Johnson. Os analistas ouvidos pela Bloomberg acreditam que a empresa parte numa posição favorável para fechar negócio.
Dona da Durex quer comprar empresa de comida de bebé
Reuters
Wilson Ledo 02 de fevereiro de 2017 às 10:15

A britânica Reckitt Benckiser está interessada em comprar a Mead Johnson Nutrition, empresa especializada em comida para bebé.

A dona dos preservativos Durex e de marcas de higiene como Dettol, Airwick, Veet, Clearasil e detergentes Calgon e Finish já confirmou esta quarta-feira, 1 de Fevereiro, que está em "negociações avançadas" com o grupo norte-americano.


A operação poderá fechar-se pelos 16,7 mil milhões de dólares, o equivalente a 15,5 mil milhões de euros. A Bloomberg recorda que desde que a Mead Johnson entrou em bolsa surgiram especulações sobre o interesse da Nestlé ou da Danone. 


Contudo, os analistas ouvidos recordam que a Danone está a meio de uma outra fusão e que a Nestlé está em processo de mudança nas suas chefias, o que levantaria questões regulatórias.


Por isso mesmo, a Reckitt poderá estar numa posição mais confortável para fechar negócio, rumo ao seu objectivo de aumentar a presença na Ásia, onde o ramo da comida para bebé é encarado como tendo um forte potencial de crescimento. Aliás, em 2016, quase 40% das vendas da Mead Johnson vieram deste continente.


O negócio entre a Reckitt e a Mead Johnson seria a maior aquisição de sempre da britânica, depois da compra da SSL – que detinha a Durex – por 2,5 mil milhões de dólares.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub